Prefeitura assume gestão de terminal rodoviário em Guará

Após declínio de empresa, Prefeitura assume terminal com promessas de melhorias na infraestrutura e segurança

A rodoviária de Guaratinguetá que  (Foto:
A rodoviária de Guaratinguetá, que após problemas com gestora, passa à administração do Governo Soliva (Foto: Marcelo A. dos Santos)

Letícia Noda
Guaratinguetá  

A Prefeitura de Guaratinguetá assumiu no último sábado a gestão da rodoviária da cidade. Em agosto foi aberta uma licitação para a escolha de uma nova empresa que gerenciaria o local a partir de novembro, quando venceria o contrato com a Codema, empresa responsável por gerir o Terminal Rodoviário até então.

O novo contrato teria duração de dez anos, mas somente uma empresa apresentou toda a documentação. Na última quinta-feira, a instituição desistiu de dar continuidade ao processo licitatório, fazendo com que a secretaria de Mobilidade Urbana assumisse toda a parte administrativa e operacional do terminal.

“Já estamos na semana de transição dos serviços. A antiga empresa deixou a gerente responsável à disposição para que essa semana nós possamos tomar conhecimento de tudo da rodoviária. Estamos fazendo inventário, toda a parte burocrática, bem como a questão dos aluguéis junto à estação”, afirmou o secretário de Mobilidade Urbana e Segurança Pública, Marco Antônio ‘Major’ Oliveira.

Segundo o secretário foram feitos reparos emergenciais no prédio na parte elétrica e na iluminação, e com o passar do tempo, serão verificadas outras necessidades.

Eliana Villela, usuária do terminal rodoviário, afirmou que o prédio precisa de reformas e adaptações para oferecer um melhor atendimento à população. “Aqueles murinhos, imagina se um idoso senta e cai (…)”, destacou a moradora de Guaratinguetá, que lembrou a necessidade de maior segurança no local. “Quando eu ia fazer fisioterapia, preferia voltar a pé do que ficar lá esperando ônibus. Uma (dificuldade) porque tem aquela turma que fica dormindo ali, e aí você fica meio com medo. Outra, porque o ônibus também não tem horário certo e dependendo da linha, você fica um tempão de pé esperando”.

Sobre a segurança, o secretário afirmou que houve a contratação de uma empresa particular, que já começou a atuar no último sábado. O trabalho é 24 horas. Há também a intenção de integrar as câmeras do circuito interno da rodoviária ao COI (Centro de Operações Integradas) para ampliar o monitoramento.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?