Na contramão da Câmara, prefeito diz que sobra de R$ 2,3milhões vai para infraestrutura

Vereadores indicaram economia para investimento em segurança pública de Guará
Carlos Pimentel
Guaratinguetá

A Câmara de Guaratinguetá  devolveu à Prefeitura um cheque no valor de R$ 2,3 milhões, correspondente às economias do Legislativo deste ano. Desta vez os parlamentares sugeriram ao prefeito Francisco Carlos Moreira (PSDB) que a verba fosse investida em segurança pública, mas o chefe do Executivo afirmou que deve aplicar o valor na infraestrutura de alguns bairros da cidade.
“Eu coloquei no meu plano de governo que iremos colocar câmeras de monitoramento em alguns pontos da cidade e vamos fazer, mas no momento certo. O Estado deve investir em cidades polos, como Guaratinguetá, na instalação de câmera com a sala de controle, então vamos aguardar e investir nas prioridades que são infraestrutura urbana, como rede de saneamento e pavimentação de bairros”, comentou o prefeito.
O vereador, Padre Reginaldo (PR), disse que o prefeito deveria ouvir mais a população que está cobrando os parlamentares pedindo segurança. “Esse é um clamor da população. Agora, cabe ao Executivo ouvir. Se ele escolhe não fazer isso é de direito dele, mas é de sua responsabilidade ouvir o que pedem, para o bem dos guaratinguetaenses, inclusive dos comerciantes que clamam há muito tempo pela instalação de câmera na cidade”.
O presidente da Casa, Marcelo Meirelles (PSDB), afirmou que segurou a verba até a última sessão, pois a intenção era utilizar a verba para a construção de uma nova sede do Legislativo. “Nossa meta era construir uma nova Câmara, mas não podemos ficar com o recurso enquanto não estiver pronta a licitação, portanto devolvemos essa quantia e o prefeito tem o livre arbítrio para utilizá-la”.
Prestação de contas – Na entrega do cheque ao Executivo, Meirelles fez um balanço de seu mandato frente ao Legislativo no biênio 2013/2014. O vereador destacou que o principal legado deixado por sua gestão foi tentar resgatar a imagem do político e discutir todos os temas entre os compnheiros, buscando informações e os melhores caminhos para a população.
“Em várias situações buscamos ouvir todas as partes envolvidas e buscar saídas interessantes à população, como no caso da Taxa de Iluminação que conseguimos entrar em acordo e baixar o valor. Em outra questão, sobre as obras do bairro Santa Luzia, nos reunimos com a Caixa Econômica Federal para esclarecer aos moradores o que de fato estava ocorrendo, enfim, procuramos de todas as formas ouvir todos  os envolvidos e procurar uma solução”, comentou.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?