Debate sobre transporte tem mudanças e baixa adesão

Pela quarta vez autoridades se reúnem para discutir melhorias no serviço, mas população não participa; encontro conta com representantes de empresas

Audiência pública que debateu transporte de Cruzeiro contou com baixa participação de moradores (Foto: Rafael Rodrigues)
Audiência pública que debateu transporte de Cruzeiro contou com baixa participação de moradores (Foto: Rafael Rodrigues)

Rafael Rodrigues
Cruzeiro

Sem a participação popular e com a presença de apenas uma vereadora, representantes da empresa de ônibus e da Associação de Transporte Complementar debateram as necessidades do setor com a Prefeitura de Cruzeiro, na quarta audiência pública sobre o tema, na última quarta-feira. Entre os assuntos, o transporte de passageiros realizados por ônibus e vans.

O secretário de Planejamento de Cruzeiro, Rodolfo Scamilla lamentou que os moradores não compareceram, mas enalteceu a presença dos representantes da empresa de ônibus e do transporte complementar. “As cobranças estão mais no dia a dia e não nas audiências. Os vereadores que participaram das demais audiências apresentaram questionamentos da população, mas nós gostaríamos de ter tido mais a participação dos usuários, para debater melhor o assunto”.

As audiências fazem parte do processo da Prefeitura para a nova licitação que vai definir a contratação de uma empresa definitiva para o transporte coletivo na cidade. O serviço é prestado e realizado atualmente em caráter emergencial pela empresa de ônibus ABC Transportes, que assumiu as linhas em julho do ano passado. Com o vencimento do contrato em janeiro, a intenção da Prefeitura é abrir o certame ainda no primeiro semestre desse ano.

A discussão orientou também os prestadores de serviço quanto às linhas que ligam os bairros ao Centro. De acordo com o representante do transporte complementar na cidade (vans), Murilo de Almeida Resende, o destaque positivo é que depois dos debates a expectativa é de que o serviço seja ampliado.

Resende afirmou que atualmente as vans operam apenas em 30% das linhas que são feitas pelos ônibus. “Estamos chegando em um consenso com a empresa de ônibus, o que antes não acontecia, para trabalharmos em conjunto sem que ninguém prejudique o outro. Hoje, a gente trabalha em 30% da linha dos ônibus, e a ideia é fazermos as mesmas linhas”.

Para Fernando Cesar, representante da empresa ABC Transportes, o consenso entre ônibus e vans deve melhorar o atendimento, mas desde que seja feito de forma alternada. “Chegamos ao consenso que os horários dos ônibus e do transporte complementar serão alternados, não como é hoje, os dois andando juntos e sem complementação. Os horários serão intercalados, hora ônibus hora as vans, para que a população tenha mais opção”.

César disse ainda que é necessário, no momento, que haja estudo de novos trajetos, mais rápidos e seguros, que liguem os bairros à região central. Ele negou críticas negativas à qualidade dos veículos. Mesmo com diversas queixas nas redes sociais, de carros quebrando e falhas técnicas, garantiu que a frota recebe até elogios da população. “Estamos recebendo uma avaliação muito positiva do serviço prestado. Colocamos uma frota de ônibus novos, adaptados, todos com sistema GPS, câmeras, com velocidade controlada e sistema de monitoramento”.

O secretário Rodolfo Scamilla finalizou afirmando que outros segmentos que atendem o transporte em Cruzeiro, como mototaxistas e taxistas também passarão por mudanças baseadas nas discussões das audiências públicas. “No caso dos táxis, vamos enviar um projeto para Câmara com uma nova legislação, já mototáxis serão regulamentados, porque a legislação já existe”.

A próxima e última audiência pública referente ao transporte público em Cruzeiro será realizada no próximo dia 12 de abril, às 19h na Câmara da cidade.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?