Cruzeiro amplia leitos de UTI para atender alta demanda de Covid-19

Com 87% de ocupação, Santa Casa ganha novos respiradores com custeio do Governo do Estado

Leitos de UTI são ampliados em Cruzeiro para reforçar estrutura hospitalar pública (Foto: Arquivo Atos)

Rafaela Lourenço
Cruzeiro 

Uma das primeiras cidades da região a decretar o regresso à fase vermelha do Plano São Paulo, Cruzeiro ampliou a quantidade de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) nesta semana. Com um investimento estadual de R$ 192 mil ao mês, a Santa Casa de Misericórdia, que conta atualmente com 87% de ocupação de UTI, passou a ofertar mais seis leitos para tratamento na cidade. As fiscalizações seguem intensas no município.

O prefeito Thales Gabriel Fonseca (PSD) anunciou nesta segunda-feira (25), a ampliação de 10 para 16 leitos no hospital público. Dos seis novos, quatro já estão sendo utilizados, o que reforça o pedido do chefe do Executivo sobre a colaboração dos moradores quanto a obediência as medidas protetivas. “Se pensarmos isso com os leitos que nós tínhamos (dez), estaríamos com uma ocupação de 130% dos leitos. É sério. O momento é crítico. Precisamos dessa união e consciência de todos para que possamos, em pouco tempo, se Deus quiser, passar por essa situação mais difícil”, salientou o prefeito com base nos números de domingo (24).

De acordo com a secretaria de Comunicação, uma equipe da própria Santa Casa foi remanejada para as novas unidades, sendo três cedidas pelo Governo do Estado de São Paulo e um respirador de Piquete. O Estado teria se comprometido ainda a arcar com o custeio mensal de R$ 192 mil pelo período de três meses, ou seja, R$ 576 mil.

Nos últimos dias, a cidade vem batendo a capacidade máxima de leitos de terapia intensiva atendendo também pacientes do Vale Histórico, como no caso da morte de uma senhora de 79 anos, de Silveiras.

Segundo o último boletim epidemiológico, publicado nesta segunda-feira (25), Cruzeiro tem hoje 1.922 confirmações de Covid-19, além de 87% de ocupação de UTI, 70% de suporte ventilatório pulmonar ocupados e 80% de clínica médica da Santa Casa. Já o Cisa (Centro Integrado de Saúde) utilizado como Hospital de Campanha, segue com 17% de atendimentos. São 56 mortes causadas pelo novo coronavírus no município.

Em um vídeo postado nas redes oficiais do Executivo, a secretária de Saúde, Imaculada Conceição, destacou as dificuldades para ampliar a capacidade hospitalar municipal devido ao custo alto de equipamentos, mão de obra e também pediu o apoio da população. “Temos que cada vez mais manter o distanciamento, utilização das máscaras, álcool em gel, todas as recomendações, mas ao mesmo tempo informar que o governo municipal está trabalhando para que tenha a condição efetiva de saúde”.

A expectativa é de que o município receba novas doses para vacinação nos próximos dias. A Prefeitura não conseguiu informar a quantidade de imunizantes que receberá nesta semana, até o fechamento desta matéria.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?