Rodoviária Velha de Cachoeira passa por reparos após dez anos de espera

Mesmo com manutenção, usuários protestam contra falta de limpeza e reforma no telhado do local

A rodoviária velha, no Centro de Cachoeira Paulista;prédio passa por serviço de manutenção, mas não diminui reclamações de comerciantes e usuários do terminal municipal (Foto: Jéssica Dias)
A rodoviária velha, no Centro de Cachoeira Paulista;prédio passa por serviço de manutenção, mas não diminui reclamações de comerciantes e usuários do terminal municipal (Foto: Jéssica Dias)

Jéssica Dias
Cachoeira Paulista

O Terminal Rodoviário de Cachoeira Paulista, conhecido como Rodoviária Velha, começou a receber manutenção na última segunda-feira. O local não recebia melhorias há cerca de dez anos.

Com alto fluxo diário, devido ao acesso à região central e à Comunidade Canção Nova, a rodoviária enfrenta uma série de problemas estruturais e de manutenção, local para ofertar maior conforto e comodidade aos usuários.

As obras iniciaram com reparos no telhado e preveem ajustes nos banheiros, finalizando com a pintura do prédio.
O telhado estava em péssimas condições, prejudicando os comerciantes do local, devido à água que invade o prédio a cada chuva. A pintura está desgastada, com visual prejudicado e banheiros em condições precárias, sem porta, luz e higienização adequada.

Antônio Carlos Cardoso, 56 anos, que mantém uma relojoaria há quarenta anos no local, contou que preferiu não esperar o serviço da Prefeitura. “Tive que fazer um telhado por baixo da laje, porque chovia dentro da minha loja e molhava todas as minhas coisas”, contou o comerciante, que procurou a Prefeitura, mas não obteve um posicionamento.

Cardoso disse que só não fez outras mudanças devido ao prédio ser patrimônio da Prefeitura.
Ele ressaltou ainda as dificuldades que os passageiros enfrentam ao utilizar os banheiros. “Eles são nojentos. A Prefeitura falava que não tinha produtos para jogar nos sanitários”, criticou o comerciante, que ia ao supermercado para comprar os produtos, já que sua loja fica localizada ao lado do banheiro masculino e é prejudicado com o mau cheiro.

A faxineira Edimeia Barbosa, moradora do bairro Quilombo, é usuária da rodoviária e tem a reclamação dos banheiros, referente ao cheiro e a falta de higienização. “O banheiro feminino não tem porta, nem luz. Tem dias que não tem condições de entrar de tão fedido (sic)”, criticou Edimeia, que lembrou da responsabilidade dos usuários para manter o local limpo. “Se cada um fizesse sua parte, o lugar permaneceria limpo, não estaria dessa forma”.

A manutenção é custeada pela Prefeitura em parceria com empresários da cidade. A previsão para término do serviço e o orçamento não foram informados pela administração municipal, até o fechamento desta edição.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?