Ubatuba cria leitos na Santa Casa para atender vítimas da pandemia

Ala especial conta com 12 vagas de atendimento; cidade registra primeira vítima fatal da doença

Pronto Socorro de Ubatuba; atendimento da saúde municipal ganhou maior estrutura com leitos entregues (Foto: Reprodução PMU)

Lucas Barbosa
Ubatuba 

Com uma morte e quarenta moradores infectados pelo novo coronavírus (Covid-19), Ubatuba ganhou na última quarta-feira um reforço em sua estrutura hospitalar de atendimento às vítimas da pandemia. Destinados pela Prefeitura para receberem apenas pacientes diagnosticados com a doença, 12 leitos especiais de enfermaria foram implantados na Santa Casa.

Anunciada pelo prefeito Délcio Sato (PSD), a criação da ‘Ala Covid-19’ na Santa Casa busca estabilizar os pacientes até que eles consigam vagas de transferência para as UTI´s (Unidade de Tratamento Intensivo) do Hospital Regional de Caraguatatuba e de outras unidades de saúde da RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte).

Equipados com monitores e respiradores, os leitos são localizados na parte superior do prédio, isolados das demais alas médicas. O investimento aplicado na melhoria não foi revelado.

Além de revelar que o novo setor já conta com dois pacientes, o chefe do Executivo explicou durante entrevista à imprensa regional que assim que a ocupação dos leitos ultrapassar 70%, que representa 8 vagas, outros 18 serão implantados.

Já em relação à ausência histórica de leitos UTI na cidade, Sato ressaltou que não descarta a possibilidade de contratar unidades móveis caso haja necessidade.

A Prefeitura confirmou na manhã da última quinta-feira a primeira morte causada pelo novo coronavírus no município. Morador do bairro Taquaral, o homem de 44 anos, portador de doenças crônicas, faleceu no último dia 10.

A data de internação e o local do óbito não foram divulgados pelo Município.

De acordo com a Vigilância Epidemiológica, dos 41 moradores infectados, 34 já se curaram, três seguem internados e dois em isolamento domiciliar. Em contrapartida, a cidade litorânea já descartou 199 casos suspeitos.

A reportagem do Jornal Atos solicitou à Prefeitura de Ubatuba o agendamento de uma entrevista com algum membro do Executivo sobre o tema abordado nesta matéria, mas o pedido não foi atendido até o fechamento desta edição.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?