Estado libera comércio e cultos religiosos em nova fase do Plano São Paulo

Com redução no número de internações e queda na ocupação de leitos, governo Doria avança para liberação gradual e assegura serviços não essenciais

A Rua Principal do Centro de Lorena; Estado anuncia fase de transição e amplia flexibilização (Foto: Marcelo A. dos Santos)

Marcelo Augusto dos Santos
RMVale 

Em uma coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira (16) no Palácio dos Bandeirantes, o Governo do Estado de São Paulo anunciou a reabertura de comércio e a realização de cultos (com restrições). Denominada “fase de transição”, a medida flexibiliza atividades comerciais e religiosas a partir deste domingo (18).

Na primeira semana, entre os dias 18 e 23, o comércio, incluindo lojas de shopping, estarão aptos a funcionar das 11h às 19h. Na sequência, de 24 a 30 de abril, será a vez do setor de serviços como restaurantes e similares (lanchonetes, casas de sucos, bares com função de restaurante), salões de beleza e barbearias, atividades culturais, parques, clubes e academias. O horário de funcionamento será das 11h às 19h, com exceção das academias, que poderão abrir das 7h às 11h e das 15h às 19h.

Ainda segundo o Estado, a capacidade de ocupação foi limitada em 25% da capacidade do local. No entanto, o toque de recolher das 20h às 5h e o tele-trabalho para atividades administrativas foram mantidas na nova etapa.

Segundo o vice-governador, Rodrigo Garcia, a fase de transição permite que o Estado siga com a flexibilização sem riscos de retroceder no enfrentamento da pandemia. “A fase de transição é necessária para que possamos dar passos seguros adiante sem o risco de retroceder. O apoio da população nesse novo momento da pandemia continua sendo fundamental. Não é hora de baixarmos a guarda”, afirmou o vice-governador e secretário de Governo Rodrigo Garcia.

Covid-19 – A RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte) registrou 161,9 mil casos de Covid-19 e um pouco mais três mil mortes pela doença até esta sexta-feira. Além disso, a região apresenta uma taxa de 85% de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) e 66% de ocupação de enfermaria.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?