Parceria entre Fundo Social do Estado e Orientavida produz 15 mil sacos de dormir para pessoas em situação de rua

ONG de Potim é referência em trabalho para atendimento social; encontro com primeira-dama Bia Doria aborda fabricação financiada pelo Instituto CCR

Encontro na sede da ONG Orientavida com a primeira-dama Bia Doria, parceria foca em atendimento social (Foto: Fabiana Cugolo)

Fabiana Cugolo
Potim

A ONG Orientavida, de Potim, recebeu na última quinta-feira (19) a visita da primeira-dama do Estado e presidente do FSSP (Fundo Social de São Paulo), Bia Doria. A organização produz sacos de dormir, que serão distribuídos pelo Fundo Social do Estado aos moradores de rua.

A fabricação é financiada pelo Instituto CCR (Companhia de Concessões Rodoviárias), entidade que realizou a doação ao FSSP. Além da primeira-dama, o encontro contou com a presença da fundadora da ONG, Celeste Chad, do representante da CCR, Flávio Borges Carvalho e da prefeita de Potim, Erica Soler (PL).

Com trabalhos sociais há 22 anos, a ONG Orientavida tem como propósito a qualificação profissional gratuita na área têxtil. Para este projeto com o Estado, a ONG conta com 150 mulheres na produção dos 15 mil sacos de dormir. O projeto teve início após a capacitação destas costureiras na entidade, que em seguida, levam o material de produção até suas próprias casas para confecção.

Depois de finalizada a costura, as colaboradoras retornam à organização com os sacos de dormir, para que passam por controle de qualidade, e assim, recebem a remuneração pelo trabalho. Segundo a ONG, a atuação da entidade já gerou impacto de cerca de R$ 400 mil na economia local.

A coordenadora da Orientavida, Ana Eliza Angelieri, explicou sobre a qualidade e o volume de produção dos sacos de dormir. “Nós já entregamos cinco mil ao Fundo Social do Estado, e temos mais dez mil sacos para entregar. Temos um cronograma que prevê a entrega desse volume restante nas próximas três semanas”, contou Ana Eliza. “O saco é composto por um tecido antichamas, no meio dele existe uma manta térmica, portanto, ele também protege contra chuva, aquece, e não tem o risco de uma queima involuntária”, detalhou.

Durante o encontro, Bia Doria destacou as parcerias para este projeto e explicou que cobertores já não são suficientes para as rigorosas frentes frias pela quais o Estado passa neste inverno, e que por essa razão pensou na confecção dos sacos de dormir.
“O Fundo Social não tem orçamento, o FSSP vive de doações. Então, eu consegui a doação de uma empresa para a fazer estes sacos de dormir, e logo pensei também em um projeto social para confecção destes sacos. Por isso procurei a Celeste, pois eu já a conheço há muito tempo, gosto muito do formato do trabalho dela na Orientavida, por conta de ser uma entidade que dá trabalho às pessoas, e injeta economia em Potim e região, com trabalho direcionado e valor agregado”, frisou a presidente do FSSP.

Ainda segundo a primeira-dama do Estado, a expectativa é de que novas parcerias entre o Fundo Social de São Paulo e a ONG Orientavida aconteçam neste ano. A ideia inicial é a criação de decorações de natal produzidas de forma artesanal na cidade.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?