Para aumentar segurança nas ruas, Lorena tenta reforçar COI com câmeras privadas

Projeto visa o compartilhamento de imagens com a rede de vigilância municipal

Obras seguem na secretaria de Segurança Pública; sala que receberá todo o sistema deve ter mais de 60 m² (Foto: Reprodução PML)

Bruna Castro
Lorena

Após ser aprovada na Câmara a lei que sugere o compartilhamento de imagens de monitoramento, será colocado em prática a partir de fevereiro o projeto Câmera Cidadã. A secretaria de Segurança Pública de Lorena pretende unir moradores ao sistema de vigilância da cidade.

A proposta, de 2019, é de autoria do vereador Anderson Aparecido Pinto, o Careca da Locadora (PV), e foi sancionada pelo prefeito Fábio Marcondes (sem partido). A intenção é ampliar a área de segurança no município, usando imagens das câmeras de residências, comércios e indústrias unidas ao material do COI (Centro de Operações Integradas).

De acordo com o secretário de Segurança Pública, major Carlos Adriany Lescura, a intenção é utilizar as imagens captadas como um auxílio nas atividades de monitoramento do COI, que compreendem cerca de 25 câmeras e quatro portais em pontos estratégicos para o sistema como a avenida Peixoto de Castro (principal acesso à cidade). “A nossa ideia é usar essas imagens quando solicitado para a Polícia Civil e para ajudar nas investigações. Elas não serão divulgadas para a imprensa e nãos serão utilizadas de outra forma que não seja para elucidar crimes” enfatizou.

Preocupado com possíveis tumultos para o cadastro dos equipamentos na secretaria, Lescura explicou que, a princípio, pretende visitar os bairros que possuam associações de moradores para discutir sobre o cadastro dos equipamentos de vigilância e o compartilhamento das gravações.

As câmeras cadastradas não serão monitoradas pelos agentes de segurança, sendo solicitadas apenas quando necessário. O secretário destacou a importância da posição dos aparelhos estarem direcionados à rua e tenham qualidade satisfatória para o reconhecimento de suspeitos.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?