Para acelerar imunização, Lorena deve ampliar postos de vacina contra a Covid-19

Quase 11 mil pessoas não tomaram a segunda ou nenhuma dose contra a doença; UBS’s podem ser pontos estratégicos para campanha

Aplicação da vacina contra a Covid-19 em Lorena; município pretende ampliar postos de vacinação (Foto: Marcelo A. dos Santos)

Rafaela Lourenço
Lorena

Após registrar cerca de 11 mil faltantes, a secretaria de Saúde de Lorena projeta a ampliação dos postos de vacinação contra a Covid-19. Os estudos de viabilidade e demanda devem ser concluídos na próxima semana.

Unificados no CSU (Centro Social Urbano), os atendimentos de enfrentamento a pandemia seguem na quadra poliesportiva, das 8h às 11h30 e das 13h às 15h30. Projetos piloto realizados com aplicações de segunda dose na secretaria de Saúde e repescagem em postos de saúde, no último sábado, paralelo ao Dia V de Multivacinação agregam as análises para ampliar o serviço.

De acordo com a Saúde local, o número de pessoas que não compareceram para receber a primeira dose ou completar o esquema vacinal com a segunda, se aproxima de 11 mil. O que preocupa a administração, já que a vacina, é o único método comprovado para o combate a pandemia e já demonstra resultados positivos, com a redução de internações e mortes pela doença.

Os novos locais, segundo o secretário de Saúde, Adailton José Pinto, que assumiu a pasta há cerca de um mês, serão estratégicos e específicos para atender essa demanda. “A princípio pretendemos fazer com três unidades (Unidades Básicas de Saúde), as mais estratégicas como a do Vila Nunes, no Bairro da Cruz, Santo Antônio. Por exemplo, nós temos a escola Etec, o próprio posto de saúde e até mesmo uma área interessante, muito boa no sindicato”, salientou.

Público alvo – Com um leito de UTI e outro de clínica médica ocupados na Santa Casa, por pacientes contaminados pelo novo coronavírus, a cidade segue com a campanha de vacinação aplicando a primeira dose para moradores com idade a partir de 12 anos. Já a segunda dose, de acordo com a divulgação da secretaria de Saúde, na última quinta-feira (21), abrange pessoas com 18 anos ou mais sem comorbidades, respeitando os intervalos de cada fabricante: Pfizer 21 dias, AstraZeneca 12 semanas e CoronaVac 28 dias. A terceira dose de reforço atualmente é disponibilizada para os imunossuprimidos e pessoas idosas com idade de 70 a 79 anos ou mais.

A lista completa de públicos alvo, como os imunissuprimidos segue disponível no site lorena.sp.gov.br.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?