Moradores questionam falta de pavimentação e Prefeitura promete obras até fim de fevereiro

Últimas ruas do Jardim Primavera devem receber as melhorias com convênio de quase R$ 500 mil assinado em 2019

Flagrantes de condições precárias de ruas no bairro são foco de reclamações, que aguardam início de obra (Foto: Rafaela Lourenço)

Rafaela Lourenço
Lorena

A espera de mais de uma década por pavimentação pode terminar no próximo mês. Essa é a expectativa dos moradores do Jardim Primavera, em Lorena, após o anúncio da Prefeitura sobre o serviço. O convênio federal de cerca de R$ 500 mil contemplará as duas últimas vias do bairro. 

Assinado em 2019, depositado aos cofres públicos e retido pela burocracia de licitação e documentações, o recurso levará asfalto e mais dignidade aos moradores das ruas Therezinha Braga de Menezes e Jovino Benedito Pereira, que convivem com a falta de infraestrutura. 

A empregada doméstica, Rose Cristina, de 51 anos, que mora em uma das vias com o esposo e dois filhos, perdeu as esperanças de receber o asfalto. 

Rose vai ao trabalho todos os dias de bicicleta como malabarista entre os buracos, além de enfrentar o lamaçal em dias de chuva e a poeira em dias secos. “É bem difícil viu! É muito barro, muito buraco. Em época de sol tem aquelas poeiras, então está complicada a situação aqui. A Prefeitura pra cobrar imposto ela é ótima, mas para fazer as obrigações, eles não fazem. Não importa quem é o prefeito, tem que fazer”.

Moradora enfrentam buracos e poças de água no Jardim Primavera (Foto: Rafaela Lourenço)

Os vizinhos se ajudam como podem. A cozinheira Cristina Lima, de 48 anos,  tenta reduzir os buracos utilizando entulhos e pedras. Atitude voluntária para amenizar inclusive os danos em veículos, já que a missão “desviar do buraco” é literalmente impossível devido a deterioração do solo em alguns trechos. 

A transparência com os recursos e a gestão pública também são questionadas pelos moradores, que relataram a falta do serviço. Uma publicação no site oficial da Prefeitura, em dezembro de 2020, anunciou o investimento total de aproximadamente R$ 6 milhões, feito durante oito anos para melhorias do bairro. “O bairro é bom está crescendo, mas quando chove é impossível você andar de carro, de bicicleta. A gente quer pelo menos uma explicação do prefeito. Por que a pavimentação não chegou aqui ainda?”, ressaltou o autônomo Douglas Henrique Almeida, de 33 anos, ao citar que além dos buracos, próximo às casa há terra, mato e animais peçonhentos.

Procurada pela equipe de reportagem do Jornal Atos, a secretária de Obras e Planejamento Urbano, Rosana Reis, explicou que este recurso já está depositado, porém, a empresa vencedora da licitação teve problemas documentais e foi anulada. “Só que foi recorrido, jurídico entrou e nós tivemos vários problemas com a firma. E demorou pra gente chamar a segunda firma, quando a chamamos, também estava com problema de documentação”.

O contrato com a terceira colocada foi assinado. Segundo Rosana, as obras devem ser iniciadas até o fim deste mês e concluídas até o fim de fevereiro. “Na Vila Rica que fizemos oito ruas agora pavimentadas, tem rua lá que foi feita com uma semana e meia. Então eu acredito que seja coisa rápida. Até final de fevereiro deve estar tudo concluído”.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?