Lorena reabre Unidade de Atendimento de Reintegração Social

Aparelho público atende ex-detentos e condenados a penas alternativas; serviço busca contribuir para a ressocialização de egressos

 

O prefeito Sylvio Ballerini, durante evento de implantação para programa de reintegração Social de detentos (Foto: Divulgação PML)

Da Redação
Lorena

A Prefeitura de Lorena inaugurou a sede da Unidade de Atendimento de Reintegração Social, que acompanha moradores que saíram recentemente do sistema prisional ou que ainda cumprem penas alternativas. A iniciativa viabilizou a autorização para a continuidade do serviço na cidade por no mínimo mais um ano.

Contando com a presença de autoridades estaduais, municipais e judiciárias, a cerimônia de entrega do espaço foi realizada na tarde da última sexta-feira (16). Na ocasião, o prefeito Sylvio Ballerini (PSDB) e o secretário estadual de Administração Penitenciária, coronel Nivaldo César Restivo, assinaram o termo aditivo que garante o funcionamento do aparelho público até o fim de 2023.

Implantada na região central da cidade, em um imóvel alugado pela Prefeitura na rua Bernardo José de Lorena, a Unidade de Atendimento de Reintegração Social abriga a Caef (Central de Atendimento ao Egresso e à Família), a CPMA (Central de Penas e Medidas Alternativas) e o Conselho Municipal da Comunidade.

Além de destacar que a unidade de Lorena é a única do estado que conta com o Conselho da Comunidade anexado, o que garante um maior apoio às atividades desenvolvidas no local, o secretário de Assistência e Desenvolvimento Social, Cláudio Luiz de Freitas, explicou as atribuições das duas centrais. “A CPMA realizará o acompanhamento e inserção de pessoas que tenham pena de cumprimento de prestação de serviços comunitários. Compete a ela realizar entrevistas com os apenados e monitoramento das suas atividades, por meio de controle de frequência, além de captação de vagas e prestação de informações ao Judiciário”, destacou Freitas. “Já a Caef é responsável por dar assistência direta ao egresso do sistema penitenciário e aos seus familiares, promovendo ações voltadas à saúde, educação, apoio psicossocial e geração de trabalho e renda”.

Em contrapartida ao aval estadual para a manutenção do serviço em Lorena, a gestão municipal se comprometeu a arcar com o aluguel do imóvel e com os salários de dois técnicos, que possuem nível superior de ensino, responsáveis pelo atendimento ao público. O valor do investimento necessário para a manutenção da unidade não foi revelado pelo Executivo.

Implantada em Lorena em 18 de julho de 2014, durante a gestão do então prefeito Fábio Marcondes, a Unidade de Atendimento de Reintegração Social funcionou até o início de 2020 em uma casa alugada na rua José Gemelli, no bairro Nova Lorena. Porém, devido à pandemia da Covid-19, o imóvel foi desocupado e os serviços da CPMA e Caef foram transferidos, de forma provisória, para uma sala do Fórum.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?