Lorena e Polícia Militar firmam convênio para implantação da Atividade Delegada

Medida busca ampliar efetivo policial na cidade a partir de junho; contrato é encaminhado para a assinatura do Estado

Prefeito de Lorena, Sylvio Ballerini assina convênio para Atividade Delegada na cidade; criminalidade aumenta na região (Foto: Divulgação PML)

Da Redação
Lorena

Com o objetivo de reforçar o combate à criminalidade em Lorena, a Prefeitura e a Polícia Militar firmaram na última terça-feira (3) o convênio de implantação do programa Atividade Delegada. A parceria permitirá que o Município contrate PM´s de folga para reforçar o contingente diário da corporação na cidade.

A celebração do contrato ocorreu no auditório do Unifatea (Centro Universitário Teresa D´Àvila) após a cerimônia promovida pelo 23º BPMI (Batalhão da Polícia Militar do Interior) de entrega da Láurea de Mérito Pessoal (condecoração) a um grupo de PM´s que atua na região. Assinado pelo prefeito Sylvio Ballerini (PSDB) e pelo comandante do 23º BPMI, tenente-coronel Marcos Antônio de Oliveira, o convênio é válido por cinco anos.

De acordo com o secretário de Segurança Pública de Lorena, Alfredo Pereira, a implantação da Atividade Delegada contará com um investimento municipal de até R$ 2,604 milhões. Já o número de PM´s contratados dependerá da necessidade do momento, podendo variar de três a sete. “No mínimo, teremos um PM operando no monitoramento das câmeras do COI (Centro de Operações Integradas) e outros dois patrulhando a cidade em uma viatura. Em casos de maior necessidade, como grandes eventos, contaremos com o agente no COI e outros seis nas ruas, em três viaturas. É importante esclarecer que R$ 2,604 milhões é o valor limite do convênio, mas acreditamos que o gasto municipal não chegará a esta cifra”, explicou Pereira.

Além de revelar a expectativa de início do programa, o secretário ressaltou sua importância. “O documento está sendo enviado para a assinatura do secretário estadual de Segurança Pública, general João Camilo Pires de Campos, ato que firmará, de vez, o convênio. Acreditamos que poderemos começar a Atividade Delegada em junho. Essa ação representará um avanço significativo na área da Segurança, possibilitando o aumento do efetivo policial no combate à criminalidade”.

Homicídios – Causando medo na população, o início deste ano tem sido marcado por uma onda de assassinatos em Lorena, que já deixou um saldo de 12 vítimas (primeiro trimestre). Evidenciando o momento delicado, a cidade registrou dois triplos homicídios num intervalo de pouco mais de dois meses. O primeiro caso ocorreu na rua Coronel José Vicente no bairro Vila Hepacaré na noite de 17 de fevereiro, quando criminosos invadiram um estúdio de tatuagem, denominado “Taia Tattoo”, e executaram o proprietário do estabelecimento comercial e outros dois homens. As vítimas, que tinham 21, 28, e 30 anos, foram mortas com diversos disparos de arma de fogo. Um dos rapazes foi atingido por pelo menos 39 tiros.

Já o mais recente triplo homicídio foi registrado no último dia 28 numa região de mata do bairro Aterrado. Com marcas de tiro nas cabeças, os corpos dos homens foram encontrados com as mãos e pés amarrados, sendo que um deles estava com uma faca cravada no pescoço. Os rapazes foram identificados como Bruno Henrique dos Santos Dias, 21 anos, Gabriel Gustavo Ovídio dos Santos, 20 anos, e Wally Afonso Candido, 34 anos. O trio era investigado pelo assassinato do jovem, João Victor de Oliveira Mota, que tinha 19 anos, ocorrido no último dia 21 na praça pública central do bairro Cecap. Os triplos homicídios seguem sendo apurados pela Polícia Civil de Lorena.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?