Yasumura assume por 20 dias com demandas travadas

Debate sobre transporte e zona azul devem ficam apenas para fevereiro; vice volta a assumir nas férias de Soliva

Leandro Oliveira
Guaratinguetá

Evento de posse do vice Regis Yasumura, que assumiu a Prefeitura no último dia 4; mandato de vinte dias (Foto: Leandro Oliveira)
Evento de posse do vice Regis Yasumura, que assumiu a Prefeitura no último dia 4; mandato de vinte dias (Foto: Leandro Oliveira)
O vice-prefeito de Guaratinguetá, Régis Yasumura (PSB), assumiu o comando do Executivo no último dia 4, após licença de Marcus Soliva (PSB). O prefeito titular iniciou um período de férias que vai durar vinte dias. No período, Yasumura tem a expectativa de tratar assuntos importantes ligados à segurança pública e mobilidade urbana.

A cerimônia de transmissão de cargo e posse do prefeito interino aconteceu no gabinete do Executivo e contou com a presença de boa parte dos secretários municipais e familiares de Yasumura, que se colocou à disposição da população para visitas a obras e bairros do município. “Acredito que é importante essa visita às ruas, aos postos de saúde, para ter esse feedback. Muitas vezes o prefeito, dentro do gabinete, não tem essa noção. Serei um prefeito presente, conversando com os funcionários públicos e a população geral”.

O prefeito interino assumiu o Executivo sem ter certeza se as contas de 2018 fecharam com saldo positivo ou negativo. A secretaria da Fazenda ainda trabalha no fechamento do orçamento do ano passado, que contou com reforço de última hora de contribuintes que abriram negociações para quitar impostos atrasados. Uma estimativa feita no fim de dezembro era de que a Prefeitura receberia mais de R$ 2,5 milhões referentes a parte desses pagamentos.

“O prefeito Marcus Soliva disse que não está entregando a cidade com dinheiro, mas também, sem dívida nenhuma. Foi um trabalho competente que ele e os secretários realizaram nesse ano, para que a gente pudesse honrar nossos compromissos”, afirmou Yasumura. “Nós estamos encerrando no azul, graças a Deus. Não temos dinheiro em caixa, mas não estamos no vermelho”, concluiu.

Licitações – Dois certames licitatórios, que tinham como previsão de encerramento o início de janeiro, devem ser concluídos em fevereiro. A concorrência pela zona azul tem sido grande, mas o Executivo está adequando o edital de licitação.

Outro processo atrasado é o do transporte público, já que foi feito um pedido para impugnação da concorrência. “Estaremos nos inteirando sobre como estão os andamentos das licitações abertas”.

Marcus Soliva retorna ao comando do Executivo em 28 de janeiro.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?