PEV’s contribuem para coleta seletiva em Guará e Pinda

Ação propõe combate a descarte inadequado de rejeitos para eliminar possíveis focos de criadouros de dengue

O PEV do bairro Crispim em Pinda; Guará também utiliza unidades para o descarte correto de materiais (Foto: Reprodução PMP)

Wanessa Telles
RMVale 

Com mais de oito mil casos confirmados de dengue na região, as prefeituras apostam em PEV’s (Pontos de Entrega Voluntária) para evitar o aparecimentos de criadouros do Aedes aegypti, mosquito transmissor da doença.

Na cidade de Guaratinguetá, dois PEV’s seguem em funcionamento: no Parque São Francisco (rua Benedito Monteiro dos Santos) e Cecap (avenida São Dimas).

As unidades funcionam de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h e recebem materiais como plástico, papelão, vidro, sobras de construção civil, móveis e eletrodomésticos quebrados. A quantidade máxima de resíduos por pessoa é de 1m³, correspondente a uma carroça ou caçamba utilitário. O descarte de lixo residencial não é permitido.

Materiais recicláveis como papelão, plástico e latas de alumínio, podem ser depositados nos Ecopontos. Guará conta com unidades no Pedregulho (rua Afonso Giannico – esquina com a rua Joaquim Maia) e outro no Parque Ecológico (avenida Dr. Ariberto Pereira da Cunha, nº 2, no Portal das Colinas).

Em Pindamonhangaba, a secretaria do Meio Ambiente colocou em funcionamento um novo Ponto de Entrega Voluntária. O PEV Crispim, localizado no final da rua Argemiro Cipriano de Oliveira, ao lado da quadra esportiva, conta com atendimento de segunda à sábado das 8h às 17h.

Além do Crispim, o bairro da Liberdade em Moreira César e a região Araretama também possuem ecopontos em funcionamento, das 8h às 17h. Em Araretama, o atendimento é realizado de segunda à sábado e no Liberdade, de terça à domingo.

As PEVs também são fiscalizadas para que não possuam possíveis criadouros do mosquito da dengue e abrigo de animais peçonhentos. A destinação dos materiais coletados é feita por meio de caçambas. O entulho é triturado e enviado para locais adequados de descarte ou para cooperativas de reciclagem.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?