Câmara pede reforma e nova administração para rodoviária de Guará

Propositura do presidente Arilson Santos segue reclamações e apontamentos de usuários; ideia é ampliar serviços no terminal

Área interna de espera para passageiros na rodoviária de Guará; local é tema de discussão sobre melhorias (Foto: Fabiana Cugolo)

Fabiana Cugolo
Guaratinguetá 

O presidente da Câmara, Arilson Santos (PSC) apresentou uma propositura para que os vereadores possam ter mais informações a respeito de melhorias e sobre a administração do terminal rodoviário da cidade. O requerimento se baseia na opinião dos permissionários e da população sobre problemas no local.

O tema foi pauta da sessão ordinária realizada no último dia 30, quando foi relatada a necessidade de reformas nos sanitários e manutenção dos telhados. “Nós fomos no local, verificamos, e percebemos que a situação de limpeza e segurança é precária. Outra situação, é a de que os andarilhos estão tomando banho na torneira do banheiro”, contou Santos.

As reclamações e sugestões dos usuários do local citam questões da estrutura e limpeza. “Quando chove, o pessoal fica sentado ali (parte lateral da rodoviária), e a água acaba caindo nos bancos em que as pessoas ficam esperando. Também tem a sujeira dos pombos”, contou a estudante Karina Maidana.

Já para o aposentado, Donizete, o terminal necessita de reparos há algum tempo. “Eu moro em Aparecida, mas sempre estou pegando ônibus aqui na rodoviária de Guará. Tem que dar uma arrumada, na pintura, tem muitos buracos também, e sempre está a mesma coisa, não muda nada”, destacou.

Atualmente, a segurança e a limpeza da rodoviária são realizadas por empresas especializadas contratadas. Já a manutenção e a administração contam com agentes e funcionários da Prefeitura.

Além de reformas no local, a administração do terminal também foi colocada em pauta. Desde novembro de 2019, a Estação Rodoviária de Guaratinguetá “Quinzino Fernandes”, após o fim do contrato com a empresa Cotema, passou a ser responsabilidade da secretaria de Mobilidade Urbana e Segurança.

Com a dificuldade em encontrar empresas com interesse em gerenciar o terminal, o chefe do Legislativo pede para que, além das obras, a administração do local também seja feita pela Codesg (Companhia de Desenvolvimento de Guaratinguetá).

As tratativas para a inclusão da companhia no trabalho já haviam sido iniciadas com o prefeito Marcus Soliva (PSC). “É uma empresa pública e isso auxiliaria a rodoviária e também a Codesg, que não está em uma situação agradável financeiramente, como é do conhecimento de todos. Então precisamos encontrar mecanismos pra ajudar”, destacou o vereador.

A ideia do autor do requerimento é colocar postos de pagamento da Saeg (Serviço de Água, Esgoto e Resíduos de Guaratinguetá), posto do Poupatempo, e outras lojas atuando no local. Santos espera que isso possa atrair a população e ampliar o movimento na rodoviária.

Outra situação relacionada ao terminal, que também conta com o pedido dos vereadores em andamento, é sobre o valor do aluguel de permissionários. Por conta da pandemia, o movimento foi reduzido, interferindo nos horários de ônibus e, consequentemente, nas vendas dos pontos comerciais do terminal.

De acordo com o secretário de Mobilidade Urbana e Segurança, Marco Antônio de Oliveira, a Prefeitura pretende terceirizar o local novamente. “Estamos buscando a terceirização de todo o gerenciamento da rodoviária. Já houveram dois processos licitatórios, mas os dois não compareceram interessados em assumir a gerência da rodoviária. Agora, estamos fazendo algumas alterações e nos próximos dias iremos publicar um novo processo licitatório”, revelou o secretário.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?