Famílias protestam por falta de coleta de lixo e má qualidade da água em Cruzeiro

Falha do serviço deixa cidade com acúmulo de sujeira; Saae garante que problema já foi resolvido

Lixo na calçada após falha na coleta; situação cada vez mais comum (Foto: Arquivo Atos)
Lixo na calçada após falha na coleta; situação cada vez mais comum (Foto: Arquivo Atos)

Maria Fernanda Rezende
Cruzeiro

Os moradores de Cruzeiro vêm sofrendo há meses com a inconstância da coleta de lixo. Na última semana, outro problema foi alvo de reclamações: a má qualidade da água em alguns bairros prejudica simples tarefas diárias.

Os sacos de lixos amontoados em lixeiras, esquinas e portões compõem o cenário das ruas dos bairros e Centro da cidade. Alguns desses sacos, que estavam no chão, foram rasgados e os restos espalhados nas calçadas, causando o incômodo do mau cheiro.

A situação já ocorreu no ano passado e persiste neste ano. Em agosto, a reportagem do Jornal Atos acompanhou os protestos feitos por meio das redes sociais, em que moradores reclamavam principalmente da sujeira em portas de lojas e esquinas do centro comercial.

Na última semana, diversos bairros ficaram sem o serviço que, normalmente, ocorre em três dias, intercalando os locais da cidade.
“Como choveu, a rua ficou cheirando mal. O lixo ficou revirado na beira da calçada, uma sujeira sem fim, que se agravou por conta da chuva”, relatou a estudante Gabriel Ferreira, moradora do Itagaçaba.

Já em outros bairros, o lixo ficou parado por mais tempo, como é o caso do Jardim Europa. “Nove dias que o caminhão de lixo não passava lá no meu bairro, resolveu passar ontem (segunda-feira)”, afirmou a diarista Maria Oliveira.

Além deste problema, a má qualidade da água que sai da torneira, causou transtorno para moradores de alguns bairros, como Vila Batista e Vila Romana.

“Aqui, a água estava com um grande problema no sábado. Hoje (segunda-feira), está começando a ficar mais limpa, mas ainda está bem encardida. Manchou muito todas roupas mais claras que lavei. Tive que lavar tudo outra vez”, protestou a professora, Anete Seabra, moradora do Vila Romana.

A população usa as redes sociais para mostrar a indignação com os problemas enfrentados na cidade. Em um grupo de discussões no Facebook, um morador da Vila Batista expôs a situação do bairro, como forma de protesto. “Nossas ruas fedendo com lixo espalhado na porta das casas, e onde está nossa ilustre prefeita? Sem falar que a água aqui na Vila Batista está saindo cor de barro da torneira, e muitas vezes com mau cheiro”.

A Prefeitura afirmou que, segundo o secretário de Finanças, Francisco Vieira, o pagamento da Empresa Ecopav, que realiza a coleta do lixo, está em dia.

Explicou também que na última semana, a coleta de lixo municipal encontrou um grande acúmulo de lixos e isso se agravou com o feriado do dia 12 de Outubro, já que neste dia o serviço não foi feito. Com isso, houve certa dificuldade em atender todas as ruas dos bairros da cidade.

Em relação à má qualidade da água, o Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Cruzeiro) informou que um curto circuito no sistema de fiação da ETA 3 (Estação de Tratamento de Esgoto) obrigou a equipe técnica a desligar todos os equipamentos, inclusive de bombeamento.

De acordo com a autarquia, o reservatório ficou vazio, e ao retomar as atividades, bombeou um pouco de sujeira que estava acumulada no fundo do tanque. A autarquia também afirmou que o problema já foi sanado, e que não há mais mau cheiro na água que chega às residências.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?