Cruzeiro anuncia investimento de R$ 15 milhões para ampliar tratamento de esgoto

Saae assina convênio com o Estado para ETE descentralizada que deve atender três mil famílias; estação de grande porte é licitada para área central

ETE de Cruzeiro; cidade deve construir duas novas estações para ampliar saneamento básico (Foto: Divulgação Saae)

Rafaela Lourenço
Cruzeiro

O saneamento básico de Cruzeiro deve ter um avanço ainda este ano. O Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) assinou um convênio com o Fehidro (Fundo Estadual de Recursos Hídricos) para a construção de uma ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) na Vila Juvenal. O investimento ultrapassa os R$ 2 milhões.

Atualmente, apenas 3% do esgoto da cidade é tratado. Com este convênio de R$ 1.831 milhão, o primeiro assinado pela autarquia após a conquista da CND (Certidão Negativa de Débito) cerca de três mil famílias serão beneficiadas.

De acordo com o diretor do Saae, Kleber Silveira, a obra orçada em R$ 2,5 milhões terá o custeio de 70% pelo Fehidro e o restante de contrapartida. A estrutura de pequeno a médio porte atenderá a região que sofre com a estrutura precária e o distanciamento do Centro da cidade. A ETE Mata Atlântica será construída na região que lança o esgoto de forma inadequada como em galerias de águas pluviais e valetas.

O projeto que iniciou as tratativas em setembro de 2019, teve o convênio assinado nesta semana e a licitação ainda será aberta. A previsão de assinatura do contrato é para outubro e o início das obras em novembro. O prazo para conclusão é de seis meses.

Para ampliar o tratamento de efluentes, Cruzeiro licitou uma ETE de porte grande para o Centro da cidade. Segundo o prefeito Thales Gabriel Fonseca (PSD), a estrutura tratará mais de 50% do esgoto do município. A obra que está orçada em R$ 15 milhões segue nos processos técnicos da licitação. No final do mês serão abertas as propostas e definido o valor final. Segundo Silveira, o Saae tem cerca de R$ 13 milhões reservados para o serviço. Serão estações independentes (Mata Atlântica e Central), devido ao distanciamento dos bairros. A Central levará até 18 meses para ser entregue.

O diretor, além de explicar os trabalhos de organização da autarquia com projetos, licenciamentos e economias, destacou que desde o ano passado, as equipes seguem com as obras de canalização e instalação de interceptores para liga-los as ETEs. “Estamos instalando os interceptores de esgoto para tirar de alguns córregos, outros já não tem uma gota de esgoto lançado. Além do meio ambiente, o saneamento básico está ligado direto a saúde pública. Pela exposição do esgoto, mau cheiro, moradores expostos em situações precárias”.

As canalizações no Jardim São José já foram concluídas e trechos como do córrego da Barrinha, Jardim América e Europa estão com 85% das redes prontas. O sistema eliminará o lançamento direto de esgoto aos córregos interligando a rede até as ETE’s.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?