ABPF recebe doação para acelerar reconstrução de ferrovia em Cruzeiro

Com apoio da Prefeitura, associação busca retomada do trem turístico; rota até Minas Gerais segue desativada desde 2001

Linha ferroviária em Cruzeiro, que tem reconstrução acelerada por doação; projeto que busca reativar o trem turístico (Foto: Divulgação ABPF)

Lucas Barbosa
Cruzeiro

Responsável pelo projeto que busca reativar o trem turístico de Cruzeiro, a ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária) recebeu na última semana uma doação de materiais para o avanço da reconstrução da ferrovia que liga a cidade paulista ao Sul de Minas Gerais. Orçada em aproximadamente R$ 15 milhões, a obra é uma das apostas da entidade e do Executivo para impulsionar o setor turístico do município.

Num vídeo publicado em sua página oficial na rede social Facebook, o prefeito, Thales Gabriel Fonseca (PSD), anunciou na última quinta-feira (18) que a ABPF foi contemplada pela CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) com a doação de mil dormentes, que são enormes peças de madeira que sustentam os trilhos da linha férrea. Segundo o chefe do Executivo, a contribuição foi intermediada pelo secretário estadual de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido, após um pedido municipal.

Os materiais fornecidos serão implantados no trecho paulista da linha férrea que liga Cruzeiro à Passa Quatro, em Minas Gerais. Iniciada pela ABPF em fevereiro deste ano e contando com o apoio da Prefeitura, a ação prevê a recuperação de 25 quilômetros da ferrovia até o fim de 2026.

De acordo com o diretor-presidente da ABPF, Bruno Crivelari, já foram reconstruídos em Cruzeiro cerca de 3,5 quilômetros do ponto que liga a Estação Central à Estação Rufino de Almeida. A expectativa da associação é que a recuperação deste primeiro trecho, que tem seis quilômetros de extensão, seja concluída até o fim de 2022.

Após a reconstrução da rota Cruzeiro/Passa Quatro-MG, a ABPF reativará o passeio de trem entre as duas cidades, interrompido desde 2001 devido ao avançado estado de deterioração da ferrovia.

Além das belezas naturais do trajeto, o trecho é considerado histórico já que foi palco das principais batalhas travadas durante a Revolução Constitucionalista de 1932.

Enquanto a ABPF é a responsável pelo investimento e pela execução da obra, a Prefeitura tem contribuído nos trabalhos de remoção de entulhos e de busca por doações e apoio junto ao Governo do Estado. “Essa é uma importante parceria entre o poder público, iniciativa privada e a sociedade civil organizada. É através dessa união que Cruzeiro vai crescer. Estamos juntos nessa empreitada, em busca do desenvolvimento, do fomento do turismo e da geração de emprego e renda”, ressaltou o prefeito.

De acordo com a direção da ABPF, existe a expectativa de que mais lotes de materiais, como peças dormentes, sejam em breve doados pela CPTM.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?