Entre reuniões em Brasília, Mineiro e Iphan debatem investimento para Estação Ferroviária

Agenda nos ministérios tem busca de recursos para prédios históricos e anúncio de verbas para ações de infraestrutura

A Estação Ferroviária de Cachoeira Paulista, que após décadas de abandono tem obras aprovadas (Foto: Arquivo Atos)

Thales Siqueira
Cachoeira Paulista 

O prefeito, Antônio Carlos Mineiro (MDB), embarcou para Brasília, na última terça-feira (18), para cumprir diversas agendas de interesse do município nos ministérios. Entre os temas, o restauro da Estação Ferroviária e do Teatro Municipal, liberação da área do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) para programas em prol da população e a recuperação da saúde pública da cidade entraram em pauta.

O chefe do Executivo foi acompanhado pelos secretários: Dr. Antônio Carlos Amaral (Negócios Jurídicos), Major Carlos Lescura (Segurança, Trânsito e Transportes), Luiz Carlos Pugialli (Desenvolvimento Econômico) e Dra. Polyana Paiva (Planejamento).

A agenda teve início no Ministério da Saúde, onde Mineiro foi recebido pelo secretário nacional, Dr. Leonardo Soares, em nome do ministro Marcelo Queiroga. Foram apresentados projetos para a recuperação da saúde pública de Cachoeira Paulista, entre eles o projeto de reestruturação da unidade de saúde do centro da cidade transformando-a em uma policlínica e a recuperação das ESF’s (Estratégia Saúde da Família) da área rural, em bairros como Embaú, Quilombo e São Miguel. A solicitação vai ser analisada pelo Ministério para possível liberação de verba federal.

No período da tarde do mesmo dia, o gestor municipal participou de uma reunião no Ministério do Turismo onde apresentou três propostas para a cidade: a rota do peregrino, a rota do turismo rural e uma sinalização turística, com o objetivo de fomentar o turismo religioso e ecológico.

Em uma reunião no Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações, com o ministro Marcos Pontes, foi discutida a liberação da área do Inpe para a implementação de políticas públicas na cidade. A área foi pautada como possível locação para a construção de um hospital regional (que deve ser anunciado neste sábado para Cruzeiro). Agora, existe a possibilidade de aparelhar um núcleo social e a introdução de um centro de formação tecnológica em prol da população cachoeirense e das cidades vizinhas.

Na quarta-feira (19), no encontro com membros do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) foi debatido o projeto de restauro da Estação Ferroviária, construída em 1855 e que está em ruínas e é ocupada por dependentes químicos e pessoas em situação de rua. Segundo Pugialli, o recurso para as obras deve ser liberado até junho. “Feito a recuperação arquitetônica, podemos implementar um setor cultural e um setor turístico para atender a população, e fazer a instalação do gabinete da Prefeitura para que os munícipes também possam ter acesso a essa reforma, ao aparelho turístico e cultural da cidade que passará a ter utilidade e deixará de ser uma grande ruína”, ressaltou o secretário de Desenvolvimento Econômico.

A condição da Estação Ferroviária de Cachoeira Paulista é tema de discussões e projetos há décadas, período em que o prédio histórico sofre com o abandono. Em 2020, moradores da região assinaram uma petição para que o local seja restaurado e transformado em um centro de multiuso.

A construção, de 1855 e tombada pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico) em 1982, foi administrada por anos pela empresa MRS Logística, que detém a concessão sobre a ferrovia que corta o município. Depois de uma série de ações, a Prefeitura conseguiu, ao final de 2010, a posse do local.

Um projeto de 2013 para a restauração do prédio continua parado. A ideia era transformar a estação em um museu. A recuperação do local foi orçada, naquele ano, em R$ 30 milhões.

Quem passa pelo local encontra mato alto, lixo e sinais da ocupação de dependentes químicos na segunda maior estação do estado de São Paulo (atrás apenas da Estação da Luz, na Capital). No prédio não há mais vidros, portas e janelas. Boa parte do material foi roubada.

Teatro – Na viagem foi obtido ainda uma emenda parlamentar do deputado federal Carlos Zarattini (PT) no valor de R$ 300 mil para a reforma do Teatro Municipal, inaugurado em 1895.

Investimentos – O prefeito conseguiu diversos recursos para a cidade por meio do deputado federal, Marco Bertaiolli (PSD), entre eles: R$ 500 mil reais para a compra de um caminhão e uma máquina retroescavadeira para a manutenção das estradas vicinais, R$ 350 mil reais para a Apae (Associação de Pais e Amigos Excepcionais), R$ 120 mil reais para a aquisição de dois carros para a assistência social, um carro novo para o conselho tutelar, R$ 300 mil reais de investimentos no centro de saúde Padre Pio, R$ 250 mil reais destinados à educação R$ 200 mil para a secretaria municipal de Saúde, totalizando quase R$ 2 milhões de benefícios para o município.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?