Sem estoque do kit intubação, Santa Casa de Aparecida mantém atendimento e aguarda socorro

Administrador da Santa Casa revela que hospital busca empréstimos de medicamentos de outras unidades para não interromper assistência a pacientes

Ciclista próximo a Santa Casa de Aparecida; hospital tem dificuldades para adquirir medicamentos (Foto: Marcelo A. dos Santos)

Marcelo Augusto dos Santos
Aparecida

A Santa Casa de Aparecida entrou na lista dos hospitais que estão com dificuldades para comprar os medicamentos sedativos, utilizados para intubação de pacientes com o novo coronavírus. A unidade é referência no atendimento para os moradores de Aparecida, Potim e Roseira e conta com 100% dos leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) ocupados.

Os sedativos são essenciais para o procedimento. Colocados em um tubo na traqueia que fica acoplado a um ventilador pulmonar, ele administra a quantidade de ar que entra e sai do pulmão e controla a mistura de gases utilizada e a quantidade de oxigênio.

Segundo o administrador da Santa Casa, Frei Bartolomeu Schultz, o hospital está realizando empréstimos desses medicamentos de outros hospitais para suprir a necessidade dos pacientes. “As dificuldades com os medicamentos são referentes aos bloqueadores neuro muscular e sedativos utilizados para os pacientes que se encontram entubados. Um problema no Brasil inteiro, pois não se encontra grandes quantidades para compra e se usa uma quantidade grande em cada paciente”, explicou.

Ainda segundo o frei, a Santa Casa é responsável pela aquisição desses insumos, mas devido à escassez, entrou em contato com o Estado para auxiliar nesta situação. “Tivemos que fazer adaptações de medicações, pois chegou ter dias de não tínhamos neuros bloqueadores e precisamos utilizar outros sedativos para o tratamento da Covid e não deixar de dar assistências ao paciente.”, finalizou Frei Bartolomeu Schultz.

Covid-19 – De acordo com o último boletim epidemiológico de Aparecida, o município tem 2557 casos confirmados, deste total 2372 estão recuperados (contabilizando 93% do total de casos confirmados), 96 pessoas em isolamento domiciliar e 82 óbitos.

Entre os suspeitos, 93 pessoas com sintomas de síndrome gripal seguem em monitoramento nas residências e dez pacientes estão internados na Ala Covid da Santa Casa de Misericórdia.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?