À direita, RMVale tem queda de representatividade entre deputados com apenas três eleitos

Cidades da região apoiam Bolsonaro e Tarcísio ao segundo turno, mas veem cair número de parlamentares para próximos quatro anos

Dr. Elton, Letícia Aguiar e Milton Vieira, únicos representantes da RMVale para Assembleia Legislativa e Câmara dos Deputados (Foto: Reprodução)

Da Redação
RMVale

Se no período pré-eleitoral a RMVale (Região Mertropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte) acreditava na ampliação da frente parlamentar valeparaibana na Assempleia Legislativa e Câmara dos Deputados, a realidade após o último domingo (2) foi de decepção. Para os próximos quatro anos, apenas dois deputados representarão as 39 cidades da região em São Paulo, e um em Brasília.

Além da queda (em 2018 foram eleitos quatro parlamentares), a monopolização da sub-região de São José dos Campos também preocupa as outras quatro sub-regiões. A reeleição de Letícia Aguiar (Progressistas) e a eleição de Dr. Elton (PSC) foram as únicas oriundas da região para a Assembleia Legislativa.

Após deixar o PSL, Letícia Aguiar foi eleita para mais um mandato pelo Progressistas. Foram 68.556 votos, representando 0,29% do total. Já Dr. Elton, eleito com 46.042 votos (0,20% do total), assume o cargo em janeiro pela primeira vez. Ele era vereador em São José dos Campos, mas havia perdido o mandato por infidelidade partidária.

Na Câmara dos Deputados, Milton Vieira será o único parlamentar da RMVale. Reeleito com 98.557 votos (0,42%), ele tem trabalho focado na saúde e já havia representado a região como deputado estadual, entre 2011 e 2018.

Para a redução de cadeiras, os eleitores deixaram nomes tradicionais de fora, como Eduardo Cury (PSDB), Ortiz Júnior (PSDB) e Padre Afonso Lobato (Podemos). Outro candidato frustado foi Sergio Victor (NOVO), nascido em Taubaté, mas com passagens pelas regiões de Guaratinguetá e Cruzeiro. Victor tentava a reeleição como estadual, mas com 41.671 votos, acabou ficando sem mandato.

Além destes, o vice-prefeito de Guaratinguetá Regis Yasumura (PL) obteve 39.168 votos, mas não conseguiu a eleição, assim como o ex-prefeito de Caraguatatuba, Antônio Carlos da Silva (REPUBLICANOS), lembrado por 32.092 eleitores, mas ficou de fora. Outro nome não eleito, mas que tenta colher frutos dos números do domingo eleitoral é Herivelto Vela (PT), que recebeu 18.524 votos. Representante do movimento sindicalista de Pindamonhangaba, ele faz as contas com foco nas eleições de 2024. Vela é apontado como possível prefeiturável para a cidade.

À direta. Além da eleição de nomes de partidos de direita para as duas casas legislativas, as urnas mostraram uma RMVale mais pendente às campanhas da coligação de Jair Bolsonaro (PL). O presidente, que disputa o segundo turno contra o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT), recebeu a maioria dos votos. Das 39 cidades da nossa região, Bolsonaro venceu em 32. Lula teve maioria dos votos em apenas sete, cinco delas na sub-região do Vale Histórico.

Confira os nesta página a lista dos candidatos eleitos na RMVale e quem ficou sem cargo para os próximos quatro anos. A situação é parecida com Tarcísio de Freitas (Republicanos), que obteve a maioria dos votos na RMVale.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?