Com 214 assassinatos, região é a mais violenta do interior paulista no primeiro semestre

Número de vítimas cresce 29% em comparação ao ano passado; Pinda é a segunda cidade com mais execuções

Sede da Delegacia de Caraguatatuba; região é considerada mais violento do estado de São Paulo (Foto: Divulgação)

Da Redação
RMVale

Mantendo a sina da última década, a RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte) se manteve no primeiro semestre deste ano como a região mais violenta do interior de São Paulo. Um levantamento divulgado pelo Estado, na última segunda-feira (25), revelou que a área registrou um aumento de 29% no número de vítimas de assassinato em comparação ao mesmo período de 2021.

De acordo com dados da secretaria de Segurança Pública do Estado, entre janeiro e junho, a região teve 214 moradores mortos violentamente. Entre eles, 208 vítimas de homicídio doloso (quando existe a intenção de matar) e seis de latrocínio (roubo seguido de morte). O montante supera em 49 casos o registrado na mesma época do ano passado, que foi de 165, sendo 159 homicídios dolosos e seis latrocínios.

O número total coloca a RMVale isoladamente como a área mais violenta do interior, com 182 assassinatos a mais do que a segunda colocada, que foi Ribeirão Preto, que teve 132 registros. As oito demais regiões atingiram os seguintes resultados: Campinas (129), Piracicaba (123), Santos (90), Sorocaba (81), São José do Rio Preto (57), Bauru (49), Araçatuba (35) e Presidente Prudente (30).

Com 27 execuções, São José dos Campos, maior e mais populosa cidade da RMVale, liderou o ranking da morte do primeiro semestre deste ano. Dividindo a vice-liderança, aparecem Pindamonhangaba e Taubaté, com 21 vítimas cada.

Causando preocupação na população de Pinda, o município teve um aumento de 50% de assassinatos, já que no mesmo período de 2021 houveram apenas 14 casos. A ocorrência de maior repercussão midiática ocorreu na cidade em 20 de maio, quando a estudante Juliana Fernandes Cândido, que tinha 19 anos, foi executada a tiros pelo ex-namorado na saída do Colégio Tableau, no bairro Maria Áurea. Na ocasião, o pai da vítima, que a aguardava no interior do carro, presenciou sua morte.

Capturado pela Polícia Civil poucas horas após tirar a vida de Juliana, o atirador, que na época tinha 17 anos, confessou em depoimento que a matou por não aceitar o fim do relacionamento. Já que cometeu o crime cinco dias antes de completar a maioridade, ele foi internado em 1 de julho na Fundação Casa, onde deverá permanecer por até três anos por ato infracional análogo ao feminicídio.

Fechando o “Top 5” das cidades mais violentas da região nos primeiros seis meses deste ano, estão Lorena, que contabilizou vinte homicídios, e Cruzeiro, que teve 19 casos.

Os 19 outros municípios da RMVale que registraram assassinatos no período foram: Caraguatatuba (18), Caçapava (17), Guaratinguetá (15), Ubatuba (14), São Sebastião (10), Aparecida (8), Jacareí (6), Cunha (3), Piquete (3), Potim (2), Tremembé (2), Arapeí (1), Cachoeira Paulista (1), Campos do Jordão (1), Canas (1), Ilhabela (1), Lavrinhas (1), Natividade da Serra (1) e Redenção da Serra (1).

Em contrapartida ao aumento de mortes violentas, a região teve uma queda de 5% no número de roubos no comparativo entre os primeiros semestres de 2021 e 2022, caindo de 2.545 para 2.404 ocorrências. Por outro lado, o índice de furtos cresceu 15%, saltando de 9.682 para 11.165 registros.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?