Após quase quatro décadas, Ubatuba anuncia reforma de museu histórico

Espaço público abriga documentos históricos e artefatos arqueológicos; obra é orçada em quase R$ 60 mil

Parte do acervo do museu Washington de Oliveira, que deve passar por reforma; R$ 56 mil em obras (Foto: Reprodução PMU)

Lucas Barbosa
Ubatuba

Atendendo um antigo pedido de pesquisadores do Litoral Norte, a Prefeitura de Ubatuba confirmou na última semana que reformará o prédio que sedia o Museu Histórico “Washington de Oliveira”. Construído há mais de um século, o espaço público conta com exposições de peças raras e artefatos arqueológicos.

Localizado no Centro da cidade praiana, o imóvel foi erguido em 1902 para abrigar a primeira Cadeia Pública de Ubatuba. Segundo a Fundart (Fundação de Arte e Cultura de Ubatuba), a construção é considerada a primeira em linhas modernas do munícipio no século 20, sendo projetado pelo famoso escritor, Euclides da Cunha (1856 – 1909), que atuava também como engenheiro no setor de Obras Públicas do Governo do Estado.

A prisão funcionou no prédio até 1976, quando foi transferida para outro ponto da região central da cidade. Após abrigar o Centro Municipal de Cultura, Esportes e Turismo da Prefeitura, de 1984 a 2000, o imóvel foi declarado em 2001 como Patrimônio Histórico Municipal, se tornando sede do Museu Histórico “Washington de Oliveira”.

Desde 1984, o local não recebe obras de restauração, fato que há décadas vem gerando críticas de pesquisadores que temem pela estrutura do prédio e conservação de seu acervo histórico.

De acordo com a atual gestão municipal, comandada pela prefeita Flavia Pascoal (PL), o espaço público será reformado através de um investimento municipal de pouco mais de R$ 56 mil.

Contratada para realizar a obra, a empresa L.C de Abreu Filho, deverá iniciá-la até o fim de junho. Em contrapartida, o Executivo não revelou a expectativa do prazo de conclusão da recuperação.

Além das substituições do telhado e do sistema elétrico do prédio, o serviço consistirá em diversas outras melhorias como: instalação de calha, aplicação de verniz antichamas, realização de novo acabamento nas paredes de alvenaria, restauração e ampliação dos banheiros, impermeabilização do piso e pinturas internas e externas.

Acervo – De acordo com a Prefeitura, o Museu Histórico expõe à visitação um rico acervo de documentos do Litoral Norte, peças e utensílios domésticos do fim do Período Colonial (1530 a 1822) e início da República (1822). Outro ponto de destaque é a variedade de artefatos provenientes de escavações, encontrados em sítios arqueológicos do Tenório e da Ilha do Mar Virado.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?