Política a conta-gotas…

Couve comendo o…

Nenê do São João

…coelho Para o pessoal de bom senso de Cachoeira, é a primeira vez que tomam conhecimento de um subalterno tornar-se mais importante que o próprio chefe do Executivo, ao ponto de não poder orientá-lo. Pelo menos esse foi o crime sugerido pelo filho do Casemiro e pelo homem do São João, ao inflamarem mais cinco votos contra Antônio Mineiro…

Atirando no que viu…

…acertando o que não viu – dados sigilosos dos bastidores da Justiça de Cachoeira revelaram dias atrás que o líder da quadrilha que esfacelou a economia da cidade não se trata ‘do homem’ que saiu detrás das bananeiras de Campos Novos, para os banheiros de porcelanato das mansões da terra do Monsenhor.

Em sua parada anterior, de fato comandou como o ‘poderoso chefão’, mas na realidade dos últimos quatro anos, se tornou apenas refém nas mãos de ‘meia dúzia’ que ocupavam o plenário das leis.

Se pendurar um deles no ‘pau de arara’, é possível que a cidade saiba onde foram parar os R$93 milhões que a Prefeitura está devendo…

De vítima a ‘réu’

Irritados com a prestação de contas do prefeito Antônio Mineiro, que revelou o endividamento de Cachoeira Paulista na ordem de R$ 93 milhões, para um orçamento anual de apenas R$ 87 milhões, os vereadores do ‘balacobaco’ conseguiram quórum, quer dizer, votos para abrir uma Comissão Processante para investigar o Executivo, que mal sentou na cadeira. Desta vez, os ‘ministros de eucaristia’ querem puni-lo por receber trabalho voluntário e por ter enquadrado um de seus apadrinhados do quadro de servidores ‘concursado’ que permaneceu da Motolândia.

Tricampeão

Corre pelas esquinas de Silveiras, para inveja da Motolândia, que o prefeito Guilherme Carvalho agora é ‘tri’. Ou seja, conseguiu aprovar sua terceira conta consecutiva no Tribunal de Contas do Estado. Disseram que ele levantou o troféu da primeira de 2017 – após assumir a cidade como ‘terra arrasada’, a segunda de 2018, no final do ano passado, e agora a terceira, de 2019, na semana passada. Para tristeza de Marco Aurélio, que ainda ‘arrasta as asas’ para Edson Mota, o Tribunal não deixou nem margens para a Câmara questionar…

Aplauso da torcida

Renato Cebola

O ano legislativo começou bem para o vereador Renato Cebola, que viu sua indicação de anistiar de juros, multas e várias taxas os contribuintes que estão ‘pendurados’ com a Prefeitura de Pinda ser transformada em projeto do Executivo, e por fim, aprovado na Câmara.

Cebola comemorou, e mais que depressa, ‘botou a boca no mundo’ para divulgar aos quatro cantos da cidade a boa notícia!!!

Toda expectativa pode…

…gerar frustração Partindo deste pressuposto, a especulação política de Lorena foca a seleção de novos nomes para 2024, principalmente pelo fato que a realidade de hoje, na opinião de muitos, está abaixo do esperado. De qualquer maneira, faltam ainda 47 meses para mudança do jogo…

Projeções futuras

Fábio Longuinho

Não que tenha necessariamente a ver com a próxima corrida eleitoral, mas que a visita ou encontro de Marietta Bartelega com o presidente da Câmara de Lorena, Fabio Longuinho, ‘esquentou’ algumas rodas políticas da cidade. Comenta-se que entre os nomes de projeções futuras, a dupla aparece entre os prováveis candidatos à sucessão dos Irmãos Ballerini’s, seguido de Fábio Bomfim e, entre outros, até o Antônio Carlos – de Caraguá.

Missão quase cumprida

Em resposta aos inúmeros pedidos dos moradores, o prefeito Isael Domingues, junto com sua equipe de governo, criou o projeto que possibilita a regularização das construções clandestinas no perímetro urbano de Pinda, limitadas até 2020. Agora é com a Câmara. E pelo que se ouviu nos corredores da municipalidade, espera-se que os vereadores não resolvam fazer ‘política barata’ com este projeto por ser de grande alcance social, comecem a ‘discutir o sexo dos anjos’ e atrasem a votação.

Vagas limitadas

O prefeito Marcus Soliva buscou em São Paulo, esta semana, mais um aval do Estado para regularização de bairros clandestinos em Guaratinguetá. Desta vez moradores da Chácaras Agrícolas, Granja Patury e parte do Santa Bárbara serão alcançados pelo programa Cidade Legal. Vozes dos corredores deram conta no pós viagem que a audiência na secretaria estadual de Habitação foi um sucesso, porém, a única expressão de lamento parece que foi do vereador Pedro Sannini, que gostaria de ter participado da comitiva mas teve seu lugar ocupado pela colega Dani Dias…

Um pé dentro, outro fora

E por falar em Pedro Sannini (PSC), o vereador vem com novidades partidárias pela frente. Ele anunciou esta semana ao mercado político de Guará seu novo alinhamento para as próximas eleições a partir de parceria com o DEM – leia-se família Leite. A repercussão bateu no terceiro andar do Paço Municipal, onde o sinal de alerta de uma possível infidelidade partidária caiu no colo do ‘homem forte do pedaço’…

Olha quem chegou…

…de repente! O que parecia ser uma sessão tranquila na Câmara de Guará esta semana – com o início das discussões para criação do Conselho da Mulher no município, quase terminou em ‘barraco’. Um grupo de mulheres partidárias do PSOL e PT ameaçaram uma manifestação em plenário, protestando a falta de participação do grupo na elaboração do projeto. Mesmo com o presidente da Casa de Leis agindo rápido para evitar a contenda, elas prometem voltar quando o projeto for votado para valer!!!

Controvérsia

Sobre a polêmica da redução do número de vereadores da Câmara de Lorena, em pauta esta semana, o mercado político acha no mínimo suspeita a iniciativa de reduzir para 11 cadeiras ter partido do vereador Elcio Vieira, casualmente o facilitador, em 2012, do acréscimo de 10 para 17. Ah! E o pior é que parece que o vereador Marcelinho Alvarenga levou os louros pela quantidade atual de parlamentares no Legislativo.

Mais perdido que…

…cego em tiroteio Com a promessa de ser o sucessor do atual presidente da Câmara de Lorena, o vice Beto Pereira cogita, entre duas linhas de comentários nos bastidores da Casa: a movimentação para fazer antecipadamente a escolha, digo, a votação de Bruno Lorena – articulado por Elcinho Vieira e seu ‘grupo privado’, e a de apoio à série de medidas e reformas administrativas e funcionais que o atual chefe do Legislativo, Fábio Longuinho, pretende fazer ao longo do biênio. Das duas uma: negocia com a trupe do terrorismo para não ter de mudar seu gabinete entre as goteiras do andar de cima no final de 2022, ou aguenta firme, para manter a hegemonia do ‘G 12’?!?!

Um partido para…

Marcus Soliva

…chamar de meu – Quem acompanha os passos do prefeito de Guará, Marcus Soliva, joga com a possibilidade que seu atual endereço partidário – o PSC – poderá sofrer alteração antes das eleições do ano que vem.

Há quem aposte no DEM como uma de suas prováveis opções, já a sigla tem possibilidades de comandar o Estado após a passagem de Doria pelo Governo paulista.

Ah! Outra opção, segundo os cientistas do pedaço, seria o PL, principalmente se o vice, Regis Yasumura, temporariamente mudar para um partido de legenda mais leve para disputar vaga na Assembleia Legislativa.

Cartas na manga

Ainda sobre o prefeito Marcus Soliva, o mercado político de Guará admite que alguns nomes já estão sendo trabalhados pensando na continuidade de seus projetos. Além do vice, Regis Yasumura, que naturalmente se viabiliza para sucessão – independente da eleição para deputado – outros com ascendências na administração se destacam, a exemplo de João Vaz, que assumiu recentemente a secretaria de Governo e que ‘gosta de sair na foto’.

Força-tarefa

Thales Gabriel

O prefeito Thales Gabriel foi assunto em algumas rodas de Cruzeiro esta semana, após assumir e defender um posicionamento contrário ao governador João Dória, por ter decretado a região na fase vermelha do Plano São Paulo.

Se alguém tinha dúvida da sua capacidade de se posicionar em defesa de todas as cidades, fazendo o que muitos deputados deveriam fazer e não fizeram, já se convenceu que o homem vai longe na vida pública.

Não ‘covid’ para…

…a mesma picanha os prefeitos do Vale do Paraíba e o governador João Doria, ainda que o churrasqueiro seja o ‘baba ovo’ Ortiz Junior, que por consequência do seu cargo, sumiu da festa esta semana…

 

Em Alta

Cruzeiro/Guará – A apresentação da nova reclassificação da região no Plano São Paulo contra a Covid-19, realizada pelo governador João Doria, serviu para mostrar duas realidades: o Estado vê como irrelevante a atuação de municípios (não todos…) da RMVale que lutam para reduzir seus índices na ocupação de leitos e casos confirmados; e outra, a forma como os prefeitos Thales Gabriel (Cruzeiro) e Marcus Soliva (Guaratinguetá) tem se colocado em meio à crise da pandemia, mostra que a dupla é, ao lado de Isael Domingues (Pindamonhnagaba), líderes naturais no cenário que pede mais conteúdo entre os eleitos. Enquanto Thales surpreendeu ao se posicionar contra a decisão de Doria, que não enxergou o avanço da luta contra a Covid-19 na região, Soliva voltou a questionar o governador tucano, apontando descaso e falta de critério na decisão do Plano SP.

Em Baixa

Cachoeira Paulista – A redação do Atos jura que tenta, mas alguns vereadores de Cachoeira não deixam que o “Em Baixa” vá para outro caminho, senão a sede do Legislativo da cidade. Tudo porque a semana começou com o pedido de abertura de um processo de investigação contra o governo de Antônio Carlos Mineiro, após desentendimento entre o ouvidor e um membro voluntário da equipe que tenta recuperar a Prefeitura, devastada pelos quatro anos de desgoverno de Edson Mota, o mesmo Mota que contava com proteção fidedigna de parte dos vereadores que hoje cobram, veementemente, Mineiro. E tudo isso, três dias depois da atual administração escancarar as condições degradantes que encontrou a administração municipal, com destaque para a dívida total de quase R$ 93 milhões, bem maior que o orçamento da cidade para este ano. Com a palavra, Nenê e Max…

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?