Na tentativa de avançar com vacinação, região se prepara para o Dia D contra a Covid

Estado de São Paulo realiza sábado de ação com foco na segunda dose; medida tenta reduzir fila com liberação de quinhentas mil aplicações

Vacinação em idosos de Cruzeiro; cidades da região participam de Dia D contra a Covid-19 (Foto: Reprodução PMC)

Marcelo Augusto dos Santos
RMVale 

A secretaria de Saúde do Estado de São Paulo realiza no próximo sábado (5) o Dia D da aplicação da segunda dose da vacinação contra a Covid-19. A medida foi anunciada após a pasta informar, na última semana, que pelo menos quinhentas mil pessoas não haviam completado seu ciclo vacinal. Na região, as cidades ainda buscam alternativas para ampliar o sistema.

De acordo com dados do governo tucano, 212.403 pessoas aguardam a segunda dose da Fiocruz/Astrazeneca e outros 289.290 da Coronavac, que é produzida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac. Destes números, 80% são idosos de 80 a 89 anos de idade e outros 20% são de profissionais de saúde.

Os dois imunizantes não conseguem produzir anticorpos suficientes com apenas uma dose, o que deixa as pessoas expostas ao vírus. Segundo pesquisadores da Fiocruz, o relaxamento de idosos quanto às medidas restritivas após a aplicação da primeira dose pode levar a um aumento no número de internações.

Ao todo, cinco mil unidades de saúde no estado estarão abertas das 7h às 18h para a aplicação exclusivamente da segunda dose e recursos serão enviados aos municípios para assegurar as aplicações. Na semana passada foram enviados aos 645 municípios uma remessa de 279.815 doses extras da Coronavac.

Para a coordenadora do PEI (Programa Estadual de Imunização), Regiane de Paula, é fundamental que as pessoas busquem os postos de vacinação para tomar a segunda dose. “Esta será uma grande mobilização com todos os municípios para buscar as pessoas que ultrapassaram o prazo de tomar a dose dois da vacina. A pessoa só estará totalmente protegida após as duas doses dos imunizantes”, afirmou a coordenadora.

Na RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte), a ação dos municípios segue para ampliar a carga de imunização. A região já aplicou 254.142 vacinas em primeira dose e 129.163 em segunda dose. Das 39 cidades, Lagoinha (34,28%), São Luiz do Paraitinga (29,34%) e Cunha (28,30%) lideram no índice de vacinação da população.

Outros municípios como Aparecida (27,11%), Guaratinguetá (26,35%), Piquete (26,27%), São José dos Campos (25,48%) Silveiras (24,93%), Caraguatatuba (23,84%), Lorena (23,77%), (Ilhabela (23,24%), Taubaté (22,37%), Cachoeira Paulista (22,95%), Cruzeiro (21,71%), Ubatuba (20,55%), Pindamonhangaba (20,50%) e São Sebastião (19,61%), ainda não chegaram a 30% da sua população.

A última cidade está entre as que buscam novas estratégias para avançar na campanha. Na última semana, a Prefeitura de São Sebastião surpreendeu ao anunciar que começou a vacinar contra Covid-19 pessoas a partir de 18 anos, com comorbidades. Segundo a secretaria de Saúde, a cidade litorânea é a primeira do Brasil a vacinar moradores nessa faixa etária. A imunização está sendo realizada em todas as unidades de saúde.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?