Com apoio do Butantan, Ubatuba aplica testes de Covid-19 em indígenas

Moradores de duas aldeias são submetidos ao procedimento; quilombolas devem também ser contemplados

Equipes de saúde aplicando testes em famílias indígenas; ação deve seguir até o final desta semana (Foto: Reprodução PMU)

Lucas Barbosa
Ubatuba 

Tentando preservar a saúde das famílias indígenas de Ubatuba em meio à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), uma parceria entre a Prefeitura e o Instituto Butantan promove desde a última segunda-feira (3) as aplicações de testes de identificação da doença nas aldeias da cidade litorânea. Após este público específico, o Executivo buscará estender a ação às comunidades quilombolas do município.

De acordo com a secretaria de Saúde, as equipes da pasta e do Instituto Butantan realizaram na última segunda-feira os exames rápidos em 233 moradores das aldeias ‘Boa Vista’, que fica no bairro Prumirim, e ‘Rio Bonito’, localizada no bairro Casanga.

Contando também com o apoio de agentes do órgão federal Sesai (secretaria Especial de Saúde Indígena), a iniciativa constatou apenas um caso de infecção entre os nativos. O paciente não apresenta sintomas da doença (assintomático). A idade e a aldeia do homem diagnosticado, que permanece isolado dos demais, não foram reveladas pela Prefeitura.

Segundo a secretaria de Saúde, uma nova etapa da ação será realizada até o fim desta semana na aldeia ‘Renascer’, que fica na região de mata do bairro Corcovado.

Como medida prevenção ao contágio da Covid-19, turistas e outros moradores de Ubatuba estão proibidos de visitarem as três aldeias até o fim da pandemia. Para evitar que os indígenas deixem o local, equipes da secretaria de Assistência Social realizam visitas frequentes nos pontos, fornecendo alimentação e outros materiais. 

Comandada pelo prefeito Délcio Sato (PSD), a atual gestão municipal revelou ainda que já iniciou um processo para a aquisição de mais testes rápidos, que serão aplicados nas mais de cem famílias que vivem nas quatro comunidades quilombolas da cidade, denominadas: Camburi, Caçandoca, Fazenda Picinguaba e Sertão do Itamanbuca. Mas não existe ainda uma data de previsão de chegada dos insumos.

A iniciativa busca evitar o avanço do novo coronavírus para as regiões mais remotas da cidade. De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela secretaria de Saúde no fim da tarde da última segunda-feira (4), Ubatuba contabiliza 527 infectados, sendo 21 mortos, 237 recuperados e 17 internados. 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?