Chuvas fortes deixam RMVale em alerta para próximos dias

Região tem em torno de 43 mil pessoas vivendo em áreas de risco; expectativa da Defesa Civil é para chuvas de até 120 mm

Queda de árvore em Pinda após fortes chuvas; região também registrou alagamentos e interdição de rodovia (Foto: Bruna Silva)

Marcelo Augusto dos Santos
Região

A Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte tem sido castigada pelas chuvas dos últimos dias. A Defesa Civil do Estado emitiu um alerta para áreas de mais risco, com previsão de chuva em 120 milímetros capazes de causar alagamentos e deslizamentos de terra.

O alto volume de água é motivado pela chegada de uma frente fria ao estado de São Paulo, neste final de semana, que provocou enchentes na capital na última segunda-feira.

A Viação Pássaro Marron, que tem a concessão da linha que liga as cidades da RMVale à capital paulista, por meio do EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo), teve seu itinerário cancelado, já que as principais entradas de São Paulo estavam tomada pelas águas.

O usuário que havia comprado a passagem e não conseguiu embarcar pode solicitar no guichê de atendimento da rodoviária o ressarcimento do dinheiro ou a remarcação da viagem.

As estradas que cortam a região também tiveram estragos, como a BR-459, que liga Lorena ao Sul de Minas. Segundo o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), um deslizamento de terra bloqueou a via.

Na semana passada a rodovia Deputado Nesralla Rubez, que liga a cidade Cruzeiro a Lavrinhas, foi tomada por lama e árvores caíram na segunda e quarta-feira, chegando a ser interditada duas vezes.

Segundo dados do Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais) e da Defesa Civil, somente na RMVale são pelo menos 43 mil pessoas que vivem em áreas de risco, com cerca de 14 mil moradias instaladas em áreas propicias a deslizamentos e alagamentos.

As áreas estão sob monitoramento das unidades municipais de Defesa Civil. Em situações iminentes, o órgão recomenda que a população deixe imediatamente as localidades em risco.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?