Com R$ 1,6 milhão, Lorena compra “Solar dos Antunes” para investimento na cultura local

Planejamento para espaço de 3.119.20m² conta com proposta para museu e  atrativos para jovens; acervo de quase três séculos é desafio de projeto

Área interna do Solar dos Antunes, adquirido pela Prefeitura de Lorena, que tem foco ações culturais (Foto: Divulgação)

Rafaela Lourenço
Lorena
 

A Prefeitura de Lorena deve ampliar o acervo cultural após a aquisição de um novo prédio histórico. Com um investimento de R$ 1,6 milhão, o prefeito Fábio Marcondes (sem partido) anunciou a compra o Solar Baptista D’Azevedo, o casarão da Dona Mariazinha Pinto Antunes, no Centro da cidade. O espaço deve ser utilizado como museu municipal.

Após a solicitação da secretaria de Cultura e pouco mais de um mês de tratativas, Marcondes oficializou na última quinta-feira (22) a aquisição, com recursos próprios, o casarão histórico de Dona Mariazinha. O prédio, desabitado há cerca de quatro anos, tem uma área de 3.119.20m², sendo 670m² apenas de área construída e ainda uma área verde variada com espécies raras de arvores.

De acordo com o secretário de Negócios Jurídicos, Adriano Aurélio dos Santos, a casa, além de preservar as características antigas do município possui conservados importantes aspectos como a arquitetura, acervo literário, mobiliários e obras de arte. “O interesse histórico é muito grande, para que ele (o imóvel) pudesse fazer parte do acervo da cidade. Como diz o prefeito Fábio Marcondes “Quem não preserva o seu passado não tem futuro”, salientou Santos.

Entre estruturas e móveis, antiguidades são o desafio para recuperação de acervo (Foto: Divulgação)

Analisadas as possibilidades de reformas, a compra foi feita por escritura pública de desapropriação amigável após entendimento com a família proprietária.

Para fomentar a cultura local, inicialmente, o projeto para o espaço deve transformar a casa em um museu municipal para expor desde as obras, quadros e imagens a todo acervo literário preservado, como o do professor Dr. José Pinto Antunes, que “empresta” o nome ao prédio sede do Fórum da cidade.

Pela dimensão do Solar, além do museu, o espaço poderá ser utilizado como atrativo cultural para os jovens e desenvolvimento de projetos sociais como o Projeto Guri e Provim.

Os trabalhos de limpeza terão início nesta segunda-feira (26), na sequência a catalogação do mobiliário e acervo literário, feito pela Cultura e posteriormente uma adaptação do imóvel para reforma e transformação em museu.

Santos destacou que a obra não será concluída até o fim do mandato de Marcondes, mas que garante a melhor destinação para o espaço. “Evidentemente que o próximo prefeito vai ter que ter a responsabilidade de dar continuidade neste projeto que é muito importante no município”.

A Guarda Civil Municipal foi acionada para fazer a vigilância do novo prédio público e há a expectativa de incluí-lo no sistema de videomonitoramento municipal.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?