Condições precárias colocam cemitério no alvo de reclamações em Lavrinhas

Prefeitura anuncia medidas para evitar novos problemas; local enfrenta mato alto, sepulturas deterioradas e falhas no atendimento
O cemitério de Lavrinhas
O cemitério de Lavrinhas foco de reclamações; familiares abriram cova por falta de profissional para o serviço (Foto: Miguel de Sá)

Miguel de Sá
Lavrinhas

O cemitério municipal de Lavrinhas se tornou alvo de críticas. Condições irregulares como mato alto e a falta de cuidados com sepulturas são focos de reclamações, que ganharam destaque no início do mês, quando uma família denunciou que foi obrigada a enterrar um parente por conta própria devido a ausência de coveiros.Atualmente morando em Cruzeiro, a família Vieira foi às redes sociais, com fotos e vídeos, mostrando o sepultamento de Patrícia Vieira, 41 anos, no último dia 4. As imagens mostraram que os próprios parentes tiveram que cavar a cova.A indignação da família começou quando os parentes chegaram ao cemitério, no horário combinado e a cova não estava pronta para o enterro. “Ligamos para a Prefeitura por volta das sete, oito horas da manhã, informando que era necessário fazer o sepultamento de minha esposa. Tivemos a resposta que após 13h estaria tudo pronto e quando chegamos a cova havia começado a ser aberta”, contou o marido de Patrícia, Sérgio Lopes Vieira.
Com a demora no atendimento, os parentes decidiram abrir a cova. O trabalho foi finalizado por um coveiro, que só foi avisado após a chegada do corpo ao cemitério.

Sem querer se identificar, o coveiro responsável pelo cemitério municipal, afirmou que no dia do ocorrido estava de folga, pescando.

O problema trouxe à tona outras situações do local. Há anos que o cemitério municipal é referência de falta de cuidados. Moradores do Bairro de Pinheiros, em Lavrinhas, onde se localiza o cemitério, alegaram que as condições do ambiente são precárias como o mato alto, os muros quase caindo e algumas covas sem limpeza diária.

A reportagem do Jornal Atos foi até o local e conferiu falhas como um dos principais muros do cemitério, que corre grande risco de queda. Outros problemas como o mato alto, que fica em volta do terreno, aumenta a chance de aparecimento de animais peçonhentos, algumas covas não possuem enumerações para que parentes identifiquem os falecidos, a poeira e a sujeira tomam conta de caixões, que necessitam de manutenção na estrutura, a pouca quantidade de coveiros à disposição para o local, aumentam as reclamações na cidade.

Resposta – Em nota oficial, a Prefeitura de Lavrinhas destacou que lamenta a perda da família, mas que, no momento do enterro, o funcionário que estava presente finalizou o serviço. O texto destaca ainda que serão disponibilizados telefones de contato dos coveiros para que a situação deixe de se repetir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

× Como posso te ajudar?