Ex-funcionários de terceirizada da CCR Nova Dutra fazem protesto em Roseira

Categoria cobra pagamento de direitos trabalhistas; empresa e concessionária trocam críticas

Funcionários dispensados da CCR Nova Dutra fazem protesto no trecho de Roseira da rodovia; ação de grupo cobra direitos trabalhistas (Foto: Reprodução)
Funcionários dispensados da CCR Nova Dutra fazem protesto no trecho de Roseira da rodovia (Foto: Reprodução)

Lucas Barbosa
Roseira

Protestando contra a demora no pagamento de verbas rescisórias e direitos trabalhistas, um grupo de cerca de vinte ex-funcionários da FBV Engenharia, que prestava serviço à CCR Nova Dutra, se reuniu às margens da rodovia Presidente Dutra, no trecho de Roseira, na última segunda-feira. A terceirizada afirmou que não tem condições financeiras de arcar com as dívidas, já que a concessionária suspendeu o contrato de serviço antes do prazo.

Carregando faixas com os dizeres “Vergonha” e “Cadê nosso dinheiro?”, os manifestantes chamavam a atenção dos motoristas que trafegavam pela pista sentido Rio de Janeiro, do Km 78 da Via Dutra.

De acordo com os ex-funcionários da FBV Engenharia, que trabalhavam na poda e limpeza da rodovia, a empresa demitiu 340 colaboradores no fim de março, sendo que somente uma parte deles recebeu o pagamento de verbas rescisórias e direitos trabalhistas.

Em nota oficial, a FBV Engenharia explicou que tinha um contrato de prestação de serviços com a CCR Nova Dutra até 21 de julho, mas a concessionária encerrou o acordo no fim de março. Assim, a empresa ficou sem recursos financeiros para quitar os pagamentos, que de acordo com ela, deveriam ser feitos pela CCR. O documento afirma também que de acordo com os ex-funcionários, a concessionária se comprometeu com a categoria a efetuar o pagamento até o último dia 5, o que não ocorreu.

A nota ressaltou ainda que a CCR não repassou a planilha com os nomes do grupo de ex-colaboradores que receberam os pagamentos, e que também não foi informada de qual o critério adotado para pagamento de somente esta parcela dos trabalhadores.

Em nota oficial, a CCR Nova Dutra informou que seus pagamentos à FVB sempre foram rigorosamente efetuados, “o que se conclui que a empresa deveria ter gerido seus recursos para pagamento de suas obrigações com seus empregados”.

A concessionária ressaltou ainda que entende a gravidade da situação, mas a responsabilidade pelo pagamento das verbas rescisórias é da FBV, que ainda está em plena atividade em prestação de serviços a outras empresas.

Futuro – Devido ao imbróglio e divergências entre a FBV Engenharia e a CCR Nova Dutra, representantes dos ex-funcionários prometeram levar o caso até o fim do mês para o Tribunal Regional do Trabalho, de São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>