Pinda reabre Museu após cinco meses fechado para visitações

Cidade irá limitar a quantidade de pessoas que poderão entrar no espaço cultural; inovação com QR Code foi implementada

Museu Histórico de Pindamonhangaba, que foi reaberto ao público nesta semana; restrições para visitas (Foto: Bruna Silva)

Bruna Silva
Pindamonhangaba 

Após cinco meses fechado devido às restrições de isolamento social, o Museu Histórico e Pedagógico Dom Pedro I e Dona Leopoldina reabriu, na última quarta-feira (9). Os visitantes devem atender às medidas de proteção como uso de máscaras e distanciamento.

Com novo horário de funcionamento, o espaço cultural passou a atender de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. A capacidade máxima de visitantes foi determinada em 32 pessoas. A administração municipal destacou que o uso de máscara de proteção é obrigatório. O local, que dispõe de álcool em gel para que as mãos possam ser higienizadas, passou ainda por inovação, com a utilização do sistema QRCode em todas as salas. A ação tem como objetivo a auto visitação.

Para o uso do sistema, basta direcionar a câmera de um aparelho celular smartphone para o QRCode e o visitante terá informações da exposição daquele ambiente. Para aparelhos celulares será necessário baixar um aplicativo de leitura de QRCode. O Museu adotou também o circuito sinalizado por placas indicativas.

Com exposições de longa duração que apresentam a construção do prédio, o museu auxilia na busca por informações sobre a história de personalidades da cidade.

Segundo os responsáveis, a mais nova exposição temporária chamada “O Tempo Não Para” faz referência ao período da pandemia “em que tudo ‘parou’ menos o tempo”, trazendo reflexão e também abordando o relógio.

Covid-19 – Pindamonhangaba tem registrado desaceleração dos casos, se comparado aos meses de junho e julho. Desde março, a secretaria de Saúde contabilizou 1.883 confirmações da doença, cerca de 380 pessoas seguem isoladas em casa para evitar novas contaminações.

Ao menos 12 pacientes seguem internados para o tratamento do vírus, sendo sete deles na Unidade de Terapia Intensiva. O último boletim da Vigilância Epidemiológica destacou que 37 pessoas não resistiram às complicações do novo coronavírus no município.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?