Pinda busca parcerias para reduzir déficit habitacional

Governo mira apoio privado e estatal para novos apartamentos

Lucas Barbosa
Pindamonhangaba

Em busca do valor atual do déficit habitacional de Pindamonhangaba, a secretaria de Habitação iniciou, na última semana, a realização de um levantamento. Após sortear 1.536 moradias populares em dezembro, o Município busca parcerias privadas e estatais para atender novas famílias de baixa renda em 2017.

Uma pesquisa divulgada em 2015 pela Boa Vista Serviços, a maior administradora do SPPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), apontou que a casa própria é o segundo maior sonho de consumo do brasileiro, ficando atrás somente do carro.

Em dezembro, 1.536 famílias carentes de Pinda conquistaram o sonho da moradia própria, após serem contempladas por um sorteio. Os apartamentos do condomínio Bem Viver Pindamonhangaba, localizado no Araretama, e que devem ser entregues em abril, são compostos por 96 torres dividas entre seis condomínios. O empreendimento contou com uma parceira municipal, estadual e federal e teve um investimento de aproximadamente R$ 130 milhões.

Para continuar avançando no setor habitacional, o chefe da pasta, Marcos Vinicius Faria, revelou que o Município está buscando viabilizar parcerias. “Em vista de termos um orçamento limitado, estamos procurando parcerias, junto às instituições públicas federais, estaduais e também na iniciativa privada. Estamos concluindo algumas exigências junto ao CDHU, bem como à Caixa Federal e acreditamos que em muito breve anunciaremos novas unidades que serão construídas em nosso município”.

Faria afirmou ainda que não conta com dados que apontem o trabalho da antiga gestão municipal na diminuição do índice do déficit habitacional. E que a pasta realiza um levantamento para que seja estipulado o número. “Já que assumimos há poucos dias, iniciamos um novo cadastro para saber qual a real necessidade habitacional dos nossos munícipes. Estamos trabalhando de acordo com nossas disponibilidades. Por enquanto é cedo fazer qualquer estimativa, mas temos trabalhado bastante para conseguirmos os melhores resultados possíveis”.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?