Pinda adia aumento polêmico da passagem do ônibus para outubro

Aumento de cinquenta centavos desagrada população; serviço atende diariamente 17 mil usuários

Passageiros aguardam para embarcar em ônibus do Viva Pinda; reajuste gerou polêmica (Foto: Arquivo Atos)
Passageiros aguardam para embarcar em ônibus do Viva Pinda; reajuste gerou polêmica (Foto: Arquivo Atos)

Da Redação
Pindamonhangaba

Após gerar polêmica pelas ruas de Pindamonhangaba no início da última semana, o reajuste de quase 13% do valor da passagem do transporte público foi adiado pelo prefeito Isael Domingues (PR) na tarde da última quarta-feira. A medida, que entrará em vigor a partir de 10 de outubro, impactará em um aumento de R$ 0,50 na tarifa.

Para o descontentamento dos usuários de ônibus de Pinda, a Prefeitura anunciou na última terça-feira um reajuste de 12,8% no preço da passagem. A princípio a alteração entraria em vigor a partir da próxima segunda-feira, mas o Executivo decidiu adia-la, já que é necessário aguardar ao menos trinta dias entre a data de publicação do decreto e a do reajuste da tarifa. A alteração fará o valor da passagem saltar de R$ 3,90 para R$ 4,40.

Segundo a gerência da concessionária do serviço, a ‘Viva Pinda’, a mudança do preço é necessária para manter o equilíbrio financeiro da empresa, que registrou recentemente um aumento em suas despesas devido ao reajuste salarial dos funcionários e pelo alto preço do diesel. Atendendo diariamente cerca de 17 mil usuários, a Viva Pinda possui uma frota de 42 ônibus distribuídos por 12 linhas.

O último aumento tarifário do transporte coletivo ocorreu em 10 de maio do ano passado, quando o valor passou de R$ 3,50 para R$ 3,90.

O novo reajuste gerou uma “enxurrada” de reclamações pelas ruas e redes sociais. Internautas de Pinda classificaram a medida como abusiva já que a passagem será mais cara do que a da cidade vizinha Taubaté (R$ 3,90) e do principal município da região, São José dos Campos (R$ 4,10).

Em nota oficial, a Prefeitura afirmou que o reajuste respeita a legalidade, tendo como objetivo manter o equilíbrio financeiro do contrato firmado entre o Executivo e a Viva Pinda.

Justificando a medida, o Município explicou que o valor do diesel subiu 28% entre maio de 2017, quando ocorreu o último reajuste, e maio de 2018.

A nota também apontou outros fatores que motivaram a alteração da tarifa como a inflação do período, custo operacional, reajuste salarial dos funcionários da concessionária e o aumento dos preços para a realização da manutenção dos ônibus, como troca de pneus e peças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>