Para evitar demissões, funcionários da Gerdau aprovam nova etapa de lay-off

Etapa prioriza trabalhadores com saúde mais frágil; empresa busca se adequar a queda de vendas durante a pandemia

Funcionários da Gerdau, empresa que após assembleia virtual, ativou a terceira etapa de lay-off na pandemia (Foto: Reprodução)

Lucas Barbosa
Pindamonhangaba 

Temendo perderem seus empregos em meio à crise econômica motivada pela pandemia do novo coronavírus, os funcionários da empresa Gerdau aprovaram na última quarta-feira mais uma etapa de lay-off na fábrica de Pindamonhangaba. A medida garantirá a suspensão temporária dos contratos de trabalhadores considerados do grupo de risco diante ao Covid-19.

Contando com a participação de 1.035 funcionários, a assembleia virtual resultou na aprovação da terceira etapa do programa de preservação de empregos, adotado em março pela fabricante de aço e que nas duas primeiras fases consistiu em férias coletivas de três meses para cerca de 1,8 mil colaboradores e aplicação de lay-off (suspensão temporária dos contratos) para outros quase duzentos funcionários até o fim de julho.

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba, a votação da última quarta-feira teve o placar de: 931 votos favoráveis, 70 contrários e 34 abstenções.

A nova etapa do lay-off, que terá duração de dois a cinco meses, contemplará os trabalhadores mais suscetíveis a complicações de saúde caso contraiam o novo coronavírus, como: diabéticos, hipertensos e transplantados.

Segundo o sindicato da categoria, ainda não é possível anunciar o número de funcionários que serão inseridos na nova fase do programa, já que a Gerdau está realizando o levantamento do grupo que possui comorbidades.

Durante o lay-off, parte dos salários dos metalúrgicos será paga pelo Governo Federal, baseado no cálculo do seguro-desemprego, e a fábrica arcará com a complementação.

Em nota oficial à imprensa regional, a gerência da Gerdau confirmou a continuidade do programa de suspensão temporária dos contratos de parte de seus colaboradores e explicou que a ação busca adequar o quadro existente de funcionários aos atuais volumes de produção de aço especial na fábrica de Pinda.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?