Vereador quer ouvir ABC após reclamações sobre transportes

Câmara volta a notificar empresa para esclarecimentos sobre qualidade dos serviços; passageiros cobram atenção

Passageiros e terminal no Centro de Lorena; Vereador convoca presença de representante da ABC (Foto: Francisco Assis)
Passageiros em terminal no Centro de Lorena; Vereador convoca presença de representante da ABC (Foto: Francisco Assis)

Bruna Castro
Lorena 

O vereador Fábio Longuinho (PSC) voltou a convidar, na última segunda-feira, o representante da ABC Transportes para debater a situação do transporte público de Lorena. Entre as razões para o convite, o parlamentar apontou o descontentamento popular relacionado aos serviços prestados pela empresa, além da precariedade das estruturas dos pontos de ônibus e veículos disponíveis.

A empresa atua na cidade desde 2010, percorrendo seis bairros urbanos além dos Campus 1 e 2 da EEL-USP (Escola de Engenharia de Lorena) e do shopping Eco Valle.

No primeiro semestre de 2019 o valor da passagem de ônibus sofreu aumento, de R$ 3,50 para R$ 3,70. O reajuste foi justificado pela necessidade de alinhar os gastos com a manutenção dos veículos e funcionários. “Inúmeras reclamações dos munícipes foram trazidas ao meu gabinete, dentre essas reclamações, se destacam as condições precárias dos ônibus, aparentando serem muito velhos, a falta de manutenção e, em alguns lugares, a falta se abrigos”, revelou Longuinho.

Esperada para a sessão da última segunda-feira, a empresa não encaminhou representantes, após oficio encaminhado no dia 18. “Como já havia mencionado, estou desenvolvendo um requerimento de convocação, para que a empresa responsável pelo transporte público e escolar venha à Câmara e possa ser sabatinada. É constante as reclamações”, frisou o vereador, que espera colocar o requerimento em votação na próxima semana.

As reclamações em relação aos horários de ônibus já se tornaram comuns na vida de Luani Vicino, 19 anos, aluna de Engenharia Química na USP. “Eu acho que deveria ter uma maior flexibilidade de horários principalmente pra ir para a faculdade. Alguns motoristas atrasam muito ou se adiantam muito e a gente acaba perdendo o ônibus” criticou.

Também estudante, Miguel Moreira, 19 anos, mora no bairro da Cecap, contou que a qualidade dos serviços prestados varia de acordo com o motorista. “Tem alguns motoristas que param para as mulheres em pontos específicos fora das linhas já estabelecidas, por uma questão de segurança mesmo”, contou.

Ele disse não ter muitas dificuldades para o uso do transporte, mas apontou problemas com os horários. “Pra mim, o horário não é muito favorável. Minha aula acaba às 22h15 e tenho que esperar até as 22h40 para pegar o ônibus, mas outras coisas além disso não tenho nada a reclamar”.

Além dos estudantes, o transporte de idosos também gera reclamações, como o espaço dedicado ao público que tem isenção na passagem. Moradora da Cecap, Patrícia Paiva, 48 anos, utiliza o serviço diariamente, mas destaca a condição dos idosos, ao contar a situação de sua mãe. “Ela tem setenta anos e usa esse ônibus quase todo dia. O que pega (sic), é que aqui em Lorena eles não deixam os idosos utilizarem a parte de trás do ônibus. Alguns tem que ficar de pé e fica arriscado, principalmente a cada freada”. Patrícia comparou com o serviço prestado em Cruzeiro, também atendida pela ABC Transportes, onde os motoristas seriam autorizados a liberar os idosos com apresentação do RG.

A reportagem do Jornal Atos entrou em contato com a ABC Transportes, mas a empresa não retornou até o fechamento desta edição.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

× Como posso te ajudar?