Novas empresas e obras são desafios para último ano de Fábio Marcondes

Para reverter demissões, Prefeitura se prepara para anunciar nome de novos empreendimentos

Prefeito Fábio Marcondes e o secretário de Desenvolvimento durante visita em empresa da cidade (Arquivo Atos)
Prefeito Fábio Marcondes e o secretário de Desenvolvimento durante visita em empresa da cidade (Arquivo Atos)

Da Redação
Lorena

Durante a entrevista ao Atos no Rádio, em que confirmou que está fora da eleição de outubro, quando tentaria o segundo mandato, o prefeito de Lorena Fábio Marcondes (PMDB) pontuou questões consideradas essenciais para o último ano de mandato. Além de falar do trabalho para a recuperação econômica, ele respondeu reclamações da população.
Entre os assuntos debatidos, a busca por novas empresas em plena crise econômica. A cidade, que perdeu a montadora de ônibus Comil no final de janeiro, já divulgou três novos negócios que devem alavancar a geração de empregos.
Duas empresas já haviam sido destacadas pelo secretário de Desenvolvimento Econômico e Turístico, Gustavo Rodrigues, dias depois do anúncio da paralisação do processo de produção da Comil. Sem revelar nomes, devido ao período de confidencialidade, ele salientou que os projetos podem gerar um números bem maior de postos de trabalho do que o fechado pela montadora.
“Uma delas, a que está mais avançada, já está na fase final de acertos. Ela é do setor metal mecânico e a outra, em que temos a disputa de outras duas cidades, é do setor de alimentos e bebidas”, contou Rodrigues, no início do mês. “A expectativa é de que os dois empreendimentos possam gerar até quinhentos empregos diretos”.
Na segunda-feira, Marcondes destacou o início do processo de produção na Riveco Generalsider, uma empresa italiana especialista na confecção de tubos de aço.
O projeto, que recebe apoio da Investe São Paulo, agência de promoção de investimentos e competitividade ligada à secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, foi anunciado em dezembro de 2014, com investimento inicial de R$36 milhões para fazer concretagem e revestimento de tubos utilizados na indústria de petróleo e gás, e uma fábrica de tubos de aço, com investimento de R$ 73 milhões. Com o projeto, a Riveco passa a ter sua primeira planta produtiva fora da Itália.
“É uma empresa que faz o investimento no campo do petróleo, apenas dessa crise do setor. O que é preciso destacar é que o Brasil está muito pessimista. Eu não sou, principalmente com uma empresa com esse grau de investimento. Com o dólar batendo os R$ 4, a obra vai sair barata para eles. Pensando na situação do investimento, é talvez a hora das multinacionais investirem no país. Hoje o terreno está barato, o custo da obra não se valorizou como o dólar”, lembrou o prefeito.
Fábio Marcondes contou que foi a São Paulo, na sede do programa Investe São Paulo, para mais uma etapa da negociação com a empresa de produtos alimentícios. “Ela vai fazer análise de solo e água. Essa empresa tem um prognóstico de investimento em R$ 150 milhões. É um bom momento para o investidor do exterior em nosso País”.

Outras empresas – O prefeito exaltou ainda os trabalhos com a AKG, empresa que produz e comercializa trocadores de calor feitos em alumínio e sistemas de arrefecimento com peças complementares como defletores/carcaças, grades de proteção, ventiladores/hélices e motores. “A AKG já é realidade na Estrada Velha Lorena-Guará. A firma já saiu de Belo Horizonte e está faturando na importação, em Lorena. Naquela região, outras cinco empresas já serão inauguradas”, comemorou.
Ainda durante a entrevista, o prefeito falou sobre o trânsito da cidade, o serviço do transporte coletivo, as obras do Mercadão, que devem ser entregues na segunda quinzena de abril, o calçadão do São Roque, a ponte interditada da BR-459 (que recebeu visita do ministro dos Transportes Antônio Carlos Rodrigues na última sexta-feira), que será entregue em maio, além das ciclovias.
“As ciclovias já estão licitadas, metade delas. Será em alguns pontos como na China. No centro da avenida Targino Vilela Nunes, que é bem larga, vai ligar à Marechal Teixeira Lott, que vai até o (banco) Santander na Praça, pela Major Oliveira Borges. Outra, do cemitério, vai entrar pela avenida São José e entrar pelo Correio e também na avenida São Tomaz e Thomaz Alves de Figueiredo”, detalhou Marcondes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>