Lorena negocia com duas indústrias para repor empregos

Emprega São Paulo volta a ser aposta para novos investidores; chegada de empresas podem gerar até 500 postos de trabalho

Gustavo Rodrigues,  secretário de Desenvolvimento Econômico, apresentando planta da área onde foi construída a Comil, em 2012 (Arquivo Atos)
Gustavo Rodrigues, secretário de Desenvolvimento Econômico, apresentando planta da área onde foi construída a Comil, em 2012 (Arquivo Atos)

Da Redação
Lorena

Enquanto os funcionários da Comil se preparam para buscar a recolocação no mercado de trabalho, a Prefeitura de Lorena prepara um contragolpe na luta contra a retração. A cidade busca junto ao Estado o apoio para atrair investimentos, e já conta com duas propostas avançadas.
A decisão da Comil de encerrar as atividades na unidade de Lorena fez cair ainda mais o índice de empregos. Em 2015, o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) apontou que a cidade registrou um saldo de -288 postos de trabalho (leia texto nesta página). A preocupação é com o impacto das demissões no comércio.
Na tentativa de reverter o quadro, o Município já entrou em contato com o Estado para atrair novos empreendimentos pelo programa Emprega São Paulo.
“Logo após o anúncio da Comil, o prefeito Fábio Marcondes (PSDB) entrou em contato com o governador Geraldo Alckmin, negociando com o Investe São Paulo para potencializar a divulgação daquela área para tentarmos buscar, em um tempo muito curto, a vinda de um novo projeto”, contou o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turístico, Gustavo Rodrigues.
Durante participação na primeira sessão da Câmara em 2016, Marcondes destacou que a cidade tenta manter o prédio ativo, já que a estrutura não pertence à Comil. “É da RB Capitais, um banco que financiou por vinte anos o prédio. O Investe São Paulo se colocou à disposição para nos ajudar a buscar outra empresa. Já fiz contato com a RB Capital para a notificação”.
Além da estrutura deixada após o fim do processo de produção da Comil, Lorena já negocia a chegada de outras duas empresas. Segundo Rodrigues, as indústrias já estão em estágios avançados. “Não podemos anunciar ainda. Uma delas, a que está mais avançada, já está na fase final de acertos. Ela é do setor metal mecânico e a outra, em que temos a disputa de outras duas cidades, é do setor de alimentos e bebidas”.
A expectativa é de que os dois empreendimentos possam gerar até quinhentos empregos diretos.
O secretário espera ainda que a cidade consiga, em curto prazo, abrir novos postos de trabalho com a abertura de novas lojas no Eco Valle Shopping. “Essa saída da Comil gera um novo cenário, mas acreditamos que o próprio shopping, com a ampliação no primeiro semestre, possa equilibrar esse índice, amenizando o impacto da crise”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>