Lorena aprova compartilhamento de câmeras particulares

Alinhado à secretaria de Segurança Pública, projeto deve auxiliar sistema de videomonitoramento da cidade

Rua Dr Rodrigues de Azevedo, a de maior movimento na cidade; aposta em câmeras compartilhadas (Foto: Arquivo Atos)
Rua Dr. Rodrigues de Azevedo, a de maior movimento na cidade; aposta em câmeras compartilhadas (Foto: Arquivo Atos)

Rafaela Lourenço
Lorena

Em busca de ampliar o serviço de videomonitoramento em Lorena, a Câmara aprovou um projeto que cria o sistema compartilhado de câmeras privadas com o Município. O termo de parceria segue para a sanção do prefeito Fábio Marcondes (sem partido) que estuda a ampliação de câmeras na cidade.

A proposta de autoria do vereador Careca da Locadora (PV), aprovada por unanimidade na última segunda-feira, formaliza a possibilidade de moradores, comerciantes e grandes indústrias de compartilharem as imagens capturadas por câmeras particulares em tempo real com uma central da secretaria de Segurança Pública.

De acordo com o parlamentar, o projeto protocolado em junho tem o objetivo de auxiliar a segurança da cidade desde a redução de criminalidade, infrações de trânsito ao descarte irregular de lixo. “Vai contribuir e muito para a cidade, pois o Executivo já está fazendo um trabalho de monitoramento com aquisição de novas câmeras, uma central e esse projeto vem a somar”.

Para a comerciante Patrícia Pires, que há um ano e meio investiu em câmeras no seu depósito de bebidas e mercearia, no Centro, o compartilhamento será essencial para aumentar a segurança para o estabelecimento, clientes, vizinhos e quem passar pela rua. “Aqui tem várias casas que podem entrar no programa. Nossa rua tem sempre horários de pico com bastante movimento, carros, bicicletas e uma vez ou outra tem ocorrência. Vou divulgar para ter bastante gente apoiando, porque a união faz a força”.

Segundo o autor da propositura, o sistema foi elaborado com base em cidades que utilizam o serviço como Chapecó-SC, Xanxerê-SC e Itu-SP. O compartilhamento não será obrigatório e a parte técnica como estudos de viabilidade do local, compatibilidade das câmeras e dos arquivos gerados será feita pelo Executivo. “Elaboramos o projeto até mesmo para regularizar esse trabalho na cidade e aumentar o alcance com custo menor, pois elas já vão estar instaladas, tanto dos moradores quanto de comerciantes”.

O projeto, que já foi apresentado ao secretário de Segurança Pública, o Major Carlos Lescura, segue para a sanção de Marcondes e a expectativa é de que no próximo ano o trabalho esteja em funcionamento.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

× Como posso te ajudar?