Lorena anuncia projeto de restauração da quase bicentenária Casa da Cultura

Com orçamento de R$ 8 milhões, trabalho tenta recuperar solar que recebeu Dom Pedro e Princesa Isabel

Hoje Casa da Cultura, o Solar Conde de Moreira Lima foi palco de encontros e situações históricas em Lorena; prédio passa por reforma que conta com orçamento de R$ 8 milhões (Foto: Lucas Barbosa)
Hoje Casa da Cultura, o Solar Conde de Moreira Lima foi palco de encontros históricos em Lorena; prédio passa por reforma que conta com orçamento de R$ 8 milhões (Foto: Lucas Barbosa)

Da Redação
Lorena

A secretaria de Cultura e Turismo de Lorena e a Fundação Olga de Sá apresentaram, na última terça-feira, o projeto de restauração do Solar Conde de Moreira Lima às empresas locais. Construção histórica, o espaço é apontado como aposta para o turismo na cidade.
A cerimônia foi realizada no Unifatea (Centro Universitário Teresa d’Ávila) e contou com a presença de membros da Santa Casa de Misericórdia de Lorena (entidade proprietária do solar); Loren Rodas; a Acial (Associação Comercial, Industrial, Autônomos e Liberais de Lorena); Comphac (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio); Arquitetura Plena; secretários municipais e o prefeito Fábio Marcondes (sem partido), que discursou na ocasião.

Segundo o diretor executivo da fundação, Dr. José Ricardo Alves Faria, o papel da instituição é de atuar como proponente junto ao Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico). Cabe a eles a função de gerenciar a execução do projeto e realizar a captação de recursos, devendo prestar contas ao Ministério Público e às entidades interessadas em colaborar. “A expectativa em relação ao projeto é que, realmente, ele possa, ainda mais, multiplicar o que é feito hoje pela Casa da Cultura. Esse projeto potencializa todo o caráter social, cultural e educativo desse espaço”, afirmou Faria. “O novo uso proposto para o local incorpora novos espaços positivos, auditório, café, banheiros. E a população é que vai usufruir desse resultado”, completou.

Para o reitor do Unifatea, Wellington de Oliveira, o projeto de restauração não se trata apenas de um resgate de patrimônio, mas da reafirmação deste como um bem imaterial da população de Lorena. “É um resgate da história, valores. O cidadão lorenense, ao ver o Solar restaurado, pode entrar em contato com sua própria história e reafirmar sua pertença”, contou.

O educador lembrou ainda o papel fundamental da universidade enquanto um polo de formação cultural é articular ferramentas para que a restauração seja concretizada e que a conversa com o poder público e a comunidade seja eficaz.
A empresa Arquitetura Plena apresentou, na reunião, detalhes do projeto. Para o restauro se concretizar é necessário que se alcance o orçamento de R$ 8 milhões. O projeto prevê a conclusão das obras em 14 meses.

Casa – O prédio, que hoje sedia a secretaria de Cultura e Turismo, foi a residência oficial do Conde de Moreira Lima. O solar, construído em 1832, também hospedou grandes nomes da nobreza como o Imperador Dom Pedro II, a Imperatriz Teresa Cristina e a Princesa Isabel.
O local foi doado para a Santa Casa de Misericórdia por meio de um testamento deixado pelo Conde.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

× Como posso te ajudar?