Lorena aguarda exame em macaco encontrado morto com suspeita de febre amarela

Corpo de animal foi encontrado no Vila Portugal; mesmo com campanha de divulgação, vacinação tem baixa adesão no município

Macaco encontrado em Lorena, com suspeita de contaminação por febre amarela (Foto: Divulgação)
Macaco encontrado em Lorena, com suspeita de contaminação por febre amarela (Foto: Divulgação)

Lucas Barbosa
Lorena

Longe de alcançar a meta estipulada pela campanha de vacinação contra a febre amarela, Lorena convive desde a última semana com outra preocupação referente à doença. A morte de um macaco, da espécie sagui, no Vila Portugal, levantou a suspeita de que ele foi a primeira vítima da doença no município.

De acordo com a Prefeitura, o animal foi encontrado pelo caseiro de uma chácara na manhã da última segunda-feira. Acionada, a Vigilância Epidemiológica verificou que o corpo não apresentava nenhum ferimento, decidindo o encaminhar para o Instituto Adolfo Lutz, em Taubaté.

A expectativa é que o laudo da causa do óbito seja revelado em até trinta dias.

Segundo a enfermeira da Vigilância Epidemiológica, Adriani de Freitas, a possível presença do vírus RNA no município aumentou ainda mais a preocupação do órgão, já que apenas 32% da meta de vacinação contra a doença foi atingida. “Apesar das ações de conscientização que realizamos há meses, parte da população se nega a ser imunizada. Infelizmente, eles acreditam em notícias que a vacina causa muitas reações adversas. A morte do macaco nos preocupa ainda mais já que muitos moradores do Vila Portugal e da Ponte Nova não se vacinaram”.

Além de destacar que todas as unidades de saúde do município contam com doses da vacina, Adriani ressaltou ainda que apesar da resistência da população, as ações de vacinação permanecerão intensificadas. “Continuaremos percorrendo diversos bairros, principalmente nesta região que o macaco foi encontrado, indo de casa a casa. Acredito que com essa suspeita da presença do vírus, a procura pela vacina aumentará nas próximas semanas”.

Região – De acordo com um levantamento da Vigilância Epidemiológica Estadual as cidades do Vale do Paraíba que registraram mortes de primatas por febre amarela foram: Taubaté (4), Pindamonhangaba (1), Santo Antônio do Pinhal (1) e Bananal (1).

Já a contaminação do RNA em humanos ocorreu em São Bento do Sapucaí e São Luiz do Paraitinga, onde dois moradores morreram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>