IPTU Complementar tem prazo prorrogado para “recuperar” R$ 2 milhões em Lorena

Inadimplência chega a sete mil; data-limite do pagamento é estendida em um mês

Rua Major Oliveira Borges, no Centro de Lorena; IPTU complementar é prorrogado na cidade (Foto: Arquivo Atos)
Rua Major Oliveira Borges, no Centro de Lorena; IPTU complementar é prorrogado na cidade (Foto: Arquivo Atos)

Lucas Barbosa
Lorena

Após registrar uma inadimplência de mais de 50%, o pagamento do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) Complementar de Lorena teve seu prazo prorrogado na última semana. A iniciativa garantiu que os proprietários de imóveis, que tiveram suas plantas modificadas, tenham até o próximo dia 20 para quitarem a taxa.

O anúncio da extensão do prazo foi divulgado no site oficial da Prefeitura na manhã da última terça-feira. O prazo anterior para o pagamento do imposto era 20 de setembro.

Segundo o Executivo, dos mais de 15 mil proprietários notificados, cerca de 8 mil quitaram o carnê complementar do IPTU. A inadimplência atual da taxa impossibilita o município arrecadar cerca de R$ 2 milhões.

O IPTU complementar atinge os moradores que ampliaram a área construída de seus imóveis em mais de 20% ou 50 m² da planta original, sem informar a Prefeitura.

Com a ampliação do prazo, a taxa poderá ser paga à vista ou parcelada em até três vezes, com o primeiro vencimento para 20 de outubro.
O prefeito Fábio Marcondes (PSDB) apontou outro fator crucial que contribuiu para a extensão da data limite. “Decidimos tomar esta decisão também porque ocorreu um problema no sistema de pagamento, gerido pela empresa Mitra, que ficou fora do ar nos últimos dias 18,19 e 20. Então, achei injusto com a população manter o prazo anterior”.

As ampliações das moradias foram flagradas pelo trabalho de georreferenciamento realizado entre janeiro e maio. Na época, a Mitra Sistema utilizou um avião para fotografar todos os imóveis da cidade. Através dos registros, técnicos realizaram a medição das propriedades, confrontando os dados com as medidas descritas na documentação dos imóveis. Após a comparação, a empresa descobriu que mais da metade das edificações foram ampliadas sem o aval municipal, prejudicando a arrecadação do IPTU.

Os moradores interessados em negociarem o pagamento ou tirarem dúvidas devem comparecer posto de atendimento da Mitra, localizado no Mercado Municipal, o Mercadão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>