Guará inicia campanha para combater abusos e exploração sexual contra crianças e adolescentes

Ação, que já recebeu mais de 220 denúncias, chega à terceira edição reunindo órgãos de assistência na cidade

Menores são alvos de ação de combate ao abuso e exploração sexual em Guaratinguetá (Reprodução)
Menores são alvos de ação de combate ao abuso e exploração sexual em Guaratinguetá (Reprodução)

Rafaela Lourenço
Guaratinguetá

Guaratinguetá recebe entre os dias 16 e 21 a terceira edição da Campanha de Mãos Unidas ao Enfrentamento à Violência, Abuso e à Exploração Sexual contra a Criança e ao Adolescente. A ação busca a conscientização da população sobre esses atos criminosos através de cartilhas, palestras e treinamentos. O projeto terá uma caminhada pelo centro da cidade.

A cidade aderiu à campanha nacional há três anos com objetivo de combater os indícios de violência, após uma pesquisa divulgada pela secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República mostrar que nos três primeiros meses de 2015, foram denunciados 4.480 casos de violência sexual em todo o país.
A terceira edição da ação conta com aproximadamente quarenta profissionais, envolvendo Conselho Tutelar e secretaria de Assistência Social.

Os técnicos farão palestras em escolas e creches da rede pública e privada, treinarão os docentes para detectarem possíveis sinais nos alunos e distribuirão cartilhas educativas.
A campanha também será abordada nos Cras (Centro de Referência de Assistência Social), nos bairros Centro, Vila Paulista, Pedregulhos e Parque São Francisco.

O encerramento será no dia 21 com uma caminhada de mobilização ao tema. O ponto de saída será na avenida Presidente Vargas (antiga Avenida do Carnaval), a partir das 9h, com percurso até a praça Conselheiro Rodrigues Alves (Praça do Centro). Toda a população poderá participar, basta comparecer vestindo camisa branca para simbolizar a paz e o combate à violência contra as crianças e adolescentes. “Os preparativos, materiais e reuniões são realizados desde janeiro e estamos muito felizes, porque desde que começou a campanha, houve um aumento de denúncias e procura pelos Creas”, comentou o secretário de Assistência Social de Guará, Francisco Ricardo.

De acordo com a coordenadora do Conselho Tutelar, Mireli Betti, a campanha é um alerta, um trabalho em prevenção primária, do qual há uma repercussão positiva. “As denúncias são constantes e de um número alto e diárias. Precisamente nesse instante não é possível apresentar um balanço destes cinco meses de trabalho nesta nova gestão, mas apontamos algo em torno de cem denúncias ao mês”, afirmou. Já no Creas o levantamento aponta aproximadamente 120 denúncias.

Mireli revelou que o principal objetivo da campanha é divulgar o assunto de uma forma clara e leve para a população. “No que se refere ao enfrentamento do abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes, informando, esclarecendo, orientando e encaminhando aos locais que são referência ao plano de trabalho”.

As denúncias são anônimas. Quem souber de casos como os abordados na campanha, deve procurar a “Rede de Proteção” formada pelo Conselho Tutelar da Criança e do Adolescente, Creas, Vara da Infância e Juventude e Delegacia da Defesa da Mulher. Outra alternativa é denunciar através do programa Disque 100 (serviço de proteção de crianças e adolescentes, vinculado ao programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>