Governador inclui Lorena e Potim em programa para frear violência

Alistamento Civil é opção de Márcio França para tirar jovens do crime e dar formação e oportunidade; 15 municípios do Estado devem ser contemplados

O governador de São Paulo Márcio França, que anunciou programa da Polícia Civil que deve contar com jovens; Potim e Lorena serão atendidas (Foto: Divulgação)
O governador Márcio França, que anunciou programa da Polícia Civil que deve contar com jovens; Potim e Lorena serão atendidas (Foto: Divulgação)
Leandro Oliveira
Regional
Os números de criminalidade e atividade policial em todo o Estado de São Paulo preocupam o governador Márcio França (PSB). O Vale do Paraíba segue como a região do interior que mais apresenta índices negativos.

Em coletiva de imprensa concedida em Cachoeira Paulista, na última quarta-feira, França citou que de nada adianta aumentar o contingente policial nas ruas, se o ingresso de jovens no mundo do crime continuar crescendo.

Na tentativa de combater a situação atual ele confirmou que em agosto terá início o programa Alistamento Civil.O governador chegou ao tema ao ser questionado sobre o alto índice de homicídios registrados em Lorena, cidade apontada pelo Instituto Sou da Paz como a mais violenta do Estado, na conta proporcional do ano passado. Entre homicídios e latrocínios em 2018, foram 11 casos registrados, segundo a secretaria de Segurança Pública, além de oito tentativas de homicídios, até abril. “É um caso específico. Tem alguma coisa acontecendo na cidade e nós temos que investigar, certamente punir”, respondeu França, que frisou o efetivo da Polícia Militar, que conta com oitenta mil homens, e da Polícia Civil (que possui trinta mil) para destacar a estrutura do Estado na segurança pública. “Todos os índices de São Paulo são menores do que o resto do Brasil, mas isso não serve quando você tem um caso específico como esse”, complementou.Durante a coletiva, França citou que Potim está no topo da lista feita pelo Estado sobre crimes cometidos proporcionais à população. O município era o único do Vale do Paraíba presente na lista de 15 cidades contempladas pelo Alistamento Civil neste ano. Mas com números altos, há pelo menos dois anos Lorena também preocupa o setor.

“Ao invés de ir colocando cada vez mais polícia, a gente trata os meninos antes deles caírem na delinquência”, ressaltou. “Todos os rapazes de 18 anos são alistados conosco. Fazem um curso técnico obrigatório, são remunerados, andam pelas ruas e têm uma queda brusca do índice de criminalidade”, detalhou.

Como 2018 é um ano eleitoral, o governador citou que não poderá estender o programa a todos os municípios e apenas 15 serão contemplados a partir de agosto. Entre eles, Potim já foi confirmado por França, mas Lorena pode ser incluída na lista.

O custo com cada jovem gira em torno de R$ 1 mil por mês. O público alvo do programa é a juventude em situação de vulnerabilidade social, meninos e meninas de 18 anos. Eles serão convidados a se alistarem, e quem aceitar será incluído. Nos cursos oferecidos estariam opções como atendimento ao público, orientações de trânsito e primeiros socorros.

Potim – Serão selecionados cem jovens na cidade (cinco mil no Estado). A previsão de início do projeto é agosto, com duração de seis meses.
No programa, os jovens farão um curso profissionalizante de até 120 horas, aprenderão noções de ética e civismo, direitos humanos, primeiros-socorros, higiene e saúde. Eles também receberão bolsa mensal de R$ 500 e vale transporte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>