Festival Gato Preto reúne 57 curtas-metragens em Lorena

Vale tem 18 produções na 13ª edição da mostra de curtas

Cena do filme “Pele Suja Minha Carne”, exibido no Cinefest Gato Preto, a partir do dia 28, em Lorena (Foto: Reprodução)
Cena do filme “Pele Suja Minha Carne”, exibido no Cinefest Gato Preto, a partir do dia 28, em Lorena (Foto: Reprodução)

Da Redação
Lorena

Lorena recebe a 13ª edição do Cinefest Gato Preto, um festival de curtas-metragens entre os próximos dias 28 e 30.

São 11 sessões de curtas que exibirão 57 filmes, 18 deles do Vale do Paraíba, com produções de cidades como Cachoeira Paulista, Pindamonhangaba, além da própria Lorena. As sessões serão no Teatro Teresa D’ Avila, na Unifatea, com entrada gratuita.

Com o objetivo de incentivar a produção cinematográfica da região por meio de uma mostra competitiva de cinema amador e com a instituição do prêmio Gato Preto, o Cinefest foi fundado em 2005 pela irmã Olga de Sá e pela professora Olga Arantes, como parte do projeto do Cineclube de Lorena.

A Mostra Competitiva do Cinefest Gato Preto tem 22 filmes concorrentes neste ano. Eles disputam prêmios que serão dados por um júri formado por nomes do cinema nacional como Toni Venturi, Ananda Guimarães e Eduardo Resing. As categorias para premiação são melhor filme, melhor roteiro, melhor direção, melhor fotografia, melhor direção de arte, melhor desenho de som, melhor atuação e melhor montagem.

Além dos prêmios do júri, os filmes ainda concorrem ao prêmio de melhor filme do júri popular (filmes de outras sessões também concorrem) e melhor cartaz (para os filmes que enviarem o cartaz para a exposição física do festival).

A inovação deste ano é o júri composto por pessoas do Vale do Paraíba para premiar o Melhor Filme da Mostra Vale, que também terá o prêmio de júri popular da Mostra Vale. O júri será composto por Cervantes Sobrinho, de Campos do Jordão, Camila Natalie, de Taubaté e Joel Benedito Ramos, de Lorena. Foram inscritos 444 filmes de todas as regiões do Brasil para a seleção do Cinefest, 55 foram selecionados.

Devido ao grande número de filmes que colocam o negro como protagonista, será feita uma sessão especial dedicada a algum desses filmes, como “Procura-se Irenice”, de Marco Escrivão e Thiago B. Mendonça. “Nossa Carne de Carnaval”, de Gabriel Alvim. “Cabelo Bom” de Swahili Vidal. “Pele Suja Minha Carne”, de Bruno Ribeiro. Ao todo, doze filmes têm o negro como protagonista.

O Teatro fica na avenida Doutor Peixoto de Castro, nº 539.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?