Equipamento volta a monitorar chuvas no Rio Mandi em Lorena

Rios recebem atenção redobrada; cidade não registrou desastres em período de chuvas

Equipamento reimplantado que vistoria o fluxo pluvial e fluvial na cidade (Foto: Divulgação PML)
Equipamento reimplantado que vistoria o fluxo pluvial e fluvial na cidade (Foto: Divulgação PML)

Jéssica Dias
Lorena

A Prefeitura de Lorena reativou a estação hidrológica do rio Mandi, no bairro Santa Edwiges. A estação é formada por um equipamento instalado pelo Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais), que mostra dados pluviométricos, nível do rio (fluviometria) e também fornece imagens.

Foco de atenções da Prefeitura, os rios Mandi e Taboão são analisados sob risco de apresentar problemas para o município, já que eles cortam a cidade e têm casas construídas em suas margens. O Mandi passa pelos bairros Novo Horizonte, Vila Passos, Bairro da Cruz.

Já o Taboão corta 90% da Zona Urbana, desde o Novo Horizonte, onde fica a nascente, até desaguar no Rio Paraíba do Sul. Segundo o coordenador do Compdec (Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil), Luiz Fernando Romeiro, o período com maior índice de chuva é de novembro a março, mas no período de 2018 para 2019 a cidade não teve problemas. “Nós tivemos sorte de não ter pegado nada significativo. Em outros anos já tivemos problemas do rio transbordar naquele ponto entre Vila Geny e Santa Edwiges, só que não chegou atingir casas. Desde a criação do plano, não tivemos casos de ter que desocupar casas. Esse equipamento que recebemos é de monitoramento do momento de crise, que está para acontecer ou acontecendo, não é um dispositivo que vai fazer evitar”.

Entre novembro e dezembro é feito um trabalho de desassoreamento nos rios da cidade. “Nesse período nós não tivemos tanto problema, mas nunca se sabe. Esse equipamento vem ajudar e muito porque nós ficamos de plantão, principalmente no período de chuvas”.
Com a reativação da estação, Lorena soma nove equipamentos de monitoramento de chuvas, sendo três pluviômetros automáticos e seis semiautomáticos, todos instalados pelo Cemaden. De acordo com a Prefeitura, os equipamentos estão em GMT (horário de Greenwich), ou seja, é preciso descontar três horas para se chegar ao fuso horário brasileiro.

O morador pode conferir mais informações sobre o projeto no site defesacivil.lorena.sp.gov.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

× Como posso te ajudar?