Ciclofaixa entra em fase final no Santa Edwiges, em Lorena

Expectativa da Prefeitura é que todos trechos sejam concluídos até o final do mandato; investimento ultrapassa R$ 300 mil

Ciclista utiliza ciclovia na avenida Marechal Argolo; implantação de sistema de 3,5 quilômetros tem expectativa de finalização até dezembro (Foto: Lucas Barbosa)
Ciclista utiliza ciclovia na avenida Marechal Argolo; implantação de sistema de 3,5 quilômetros tem expectativa de finalização até dezembro (Foto: Lucas Barbosa)

Lucas Barbosa
Pindamonhangaba

Conhecida como a “Capital das Bicicletas”, Lorena intensificou desde o início do mês as obras de implantação de ciclofaixas em diversos pontos estratégicos. A expectativa da Prefeitura é que até o final do ano a cidade conte com 3,5 quilômetros destinados somente às “magrelas”.

Segundo levantamento da secretaria de Trânsito e Transportes, Lorena conta com aproximadamente setenta mil bicicletas em circulação. Comparado ao número de habitantes, que de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) é de pouco mais de 87 mil, o número de ciclistas torna-se ainda mais expressivo.

Há décadas, os moradores se acostumaram a acompanhar diariamente a “batalha” travada entre ônibus, carros, motocicletas e bicicletas em busca de um espaço pelas ruas. Era algo rotineiro ver ciclistas arriscando a vida ao andarem na contramão do fluxo do trânsito.

Para tentar reverter ou pelo menos amenizar o quadro, a secretaria de Trânsito e Transportes, através de um investimento superior a R$300 mil, desde junho vem implantando ciclofaixas em pontos de grande movimentação do município.

O secretário da pasta, Jaime Pereira, comentou o andamento das obras. “Estamos na fase final da colocação de um trecho de cerca de 1,5 quilômetro na avenida Marechal Argolo, no Santa Edwiges. Outro ponto que estamos trabalhando é na avenida Targino Villela Nunes, na Vila Nunes, que terá cerca 1,2 quilômetro de espaço destinado aos ciclistas”.

Outro ponto que receberá as ciclofaixas será a avenida São José, que liga o Centro à praça do Cemitério Municipal, onde serão implantadas pouco mais de 815 metros. O trecho atinge as ruas São Benedito e Padre Pedro Sacilotti. “Nosso objetivo é que o ciclista tenha mais segurança para se deslocar pela cidade. Além disso, buscamos incentivar que os moradores possam circular por determinados pontos sem a necessidade de utilizarem carros. Os trabalhos estão sendo realizados e a expectativa é que até o final do ano seja concluído todo o serviço”, explicou o secretário.

O garçom Anderson Rocha, 28 anos, ressaltou a melhora no seu deslocamento pelo Santa Edwiges após a implantação da ciclofaixa. “Antigamente era muito complicado andar aqui na região do quartel, porque o movimento é muito grande e a gente tinha que disputar espaço com os carros, caminhões e ônibus. Eu não tenho nada para reclamar, só queria mais lugares da cidade fossem assim”.

O novo sistema também foi elogiado pelo aposentado Mario Francelino, 61 anos. Mas ele afirmou que diversos ciclistas insistem em não ocuparem seus lugares demarcados. “Não entendo esse monte de ciclista que ao invés de ir no novo lugar deles, ficam aqui andando na contramão. Infelizmente falta senso para muita gente ainda. De uma forma geral gostei, e acho que essa foi uma boa ideia”, opinou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>