Após longa espera, montagem de equipamentos e implantação de serviços são iniciados no AME de Lorena

Expectativa é de que inauguração seja em até 90 dias; unidade deve atender 17 cidades da região

O AME de Lorena, que retomou implantações após longa espera (Arquivo Atos)
O AME de Lorena, que retomou implantações após longa espera (Arquivo Atos)

Da redação
Lorena

Em meio às especulações relacionadas à inauguração do AME (Ambulatório Médico de Especialidades), em Lorena, o início da implantação de serviços e montagem de equipamentos, na última quinta-feira, deixou os moradores da cidade e da região esperançosos pela abertura da unidade em breve.
Os processos de implantação dos serviços organizacionais e chegada de equipamentos são organizados pela Seconci-SP, empresa vencedora da licitação para administrar o local, e que já gerencia outras quatro unidades no estado, em Barradas, Caraguatatuba, Sorocaba e na capital paulista. Após este processo, será iniciada a contratação dos profissionais que trabalharão no local.
De acordo com a secretária de Saúde de Lorena, Imaculada Conceição Magalhães, a expectativa é grande. “Tivemos a alegria em recepcionar a empresa que estará fazendo a gestão do AME, no gabinete do prefeito Fábio Marcondes, onde delineamos o caminhar do procedimento de implantação dos serviços que serão feitos em etapas”.
A contratação dos profissionais será feita pela própria empresa, em torno de sessenta dias. Segundo o site da Prefeitura de Lorena, a seleção acontecerá no PAT (Posto de Atendimento ao Trabalhador), em data a ser divulgada.
A secretária explicou que, como se trata de uma obra do governo estadual e será administrada por uma terceirizada, não haverá concurso público. “É uma organização social, mas que, tem todo um cuidado rigoroso no sentido de fazer um processo seletivo, entrevistas, para que possa equacionar da melhor forma técnica este serviço a ser implantado”.
Apesar disso, não há uma data definida para a inauguração.
Adiamento – Anunciado em 2009, ainda no governo José Serra (PSDB), o AME teve a obra paralisada por seis meses com a transição de governo. Dois anos depois, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou a liberação de R$ 3,3 milhões. O AME contará com 22 especialidades, como as cirurgias pediátrica e torácica, reumatologia, endocrinologia e ortopedia. A expectativa é de que 17 cidades da região sejam atendidas na unidade.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?