Vale e Litoral Norte têm o segundo trimestre positivo na geração de emprego

Mesmo como com aumento, cidades se mantêm na negativa de levantamento do Caged; RMVale abre 875 postos

fffffffff (Foto: Marcelo dos Santos)
RMVale tem alta na geração de empregos segundo o novo levantamento do Caged (Foto: Marcelo dos Santos)

Marcelo dos Santos
Região

Pelo segundo mês consecutivo, a geração de empregos na Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte teve um saldo positivo, segundo os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados na última sexta-feira pelo Ministério da Economia. Ao todo foram 875 novas carteiras assinadas.

O setor que mais cresceu foi da construção civil, com 395 novos colaboradores. O serviço de telemarketing foi que mais demitiu, com 209 desligamentos.

A cidade Lorena teve uma boa recuperação comparado com mês de junho, quando teve índice negativo de -27. No último mês foram vinte novos postos de trabalhos na cidade. Mesmo com número, o acumulado dos últimos 12 meses mostra uma taxa de -9.

Guaratinguetá se manteve no crescente, e gerou 68 novos empregos. Nos últimos 12 meses o saldo é de 366. Santiago Nunes, de 21 anos, é morador da cidade e conseguiu seu primeiro emprego após ficar vários meses à procura. “Na realidade, apareciam poucas oportunidades. Cheguei a mandar e-mails para qualquer chance que aparecia, pois conciliar uma faculdade cara e desempregado é uma situação bem complicada”. Agora promotor de abastecimento de um hipermercado do município, ele foca em seu esforço para evoluir na empresa. “Como meu primeiro emprego, me sinto muito bem. Uma empresa tão grande e conhecida pelo Brasil todo por seus produtos é uma ótima forma de começar uma carreira no mercado de trabalho. Vejo que posso crescer bastante, estou no primeiro estágio ainda, mas de degrau a degrau posso enxergar um grande crescimento profissional. Como disse, é uma empresa grande nacionalmente, que pode abrir grandes portas profissionalmente”.

A cidade da RMVale que menos gerou emprego foi Taubaté, que fechou 187 vagas; seguida por Jacareí, com a perda de 91 vagas. Ubatuba, perdeu 71 vagas. Também tiveram desempenho negativo na geração de empregos Aparecida (-50), Potim (-5) e Cunha (-25).

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

× Como posso te ajudar?