Uniformes escolares não entregues há quatro anos são distribuídos para alunos de Guará

Secretária cita guerra política como causa para recusa na entrega de peças na gestão Francisco Carlos

Ex-prefeito Francisco Carlos acusado por não ter entregue mais de três mil uniformes escolares por questões políticas (Foto: Arquivo Atos)
Ex-prefeito Francisco Carlos acusado por não ter entregue mais de três mil uniformes escolares por questões políticas (Foto: Arquivo Atos)

Leandro Oliveira
Guaratinguetá

Mais de 3,3 mil peças de uniformes escolares de 2012, deixados pelo ex-prefeito Junior Filippo (PSD), não foram entregues pelo sucessor Francisco Carlos (PSDB), entre 2013 e 2016. A informação foi revelada pela atual secretária de Educação, Elisabeth Sampaio.

De acordo com a secretária, as peças permaneceram dentro do centro de distribuição durante os quatro anos de mandato do tucano. Assim que teve conhecimento das peças, a secretária se reuniu com o atual prefeito, Marcus Soliva (PSB), e foi determinado que os uniformes fossem distribuídos.

“São 3.378 peças que não foram entregues pela última administração”, afirmou Elisabeth. “O prefeito me disse que está proibido (sic) não distribuir esses uniformes. Não há como perder essas peças. Temos que entregar aos alunos”.
A secretária respondeu que os uniformes estão em bom estado de conservação e começaram a ser distribuídos aos alunos da rede municipal de ensino.

“Nós pedimos o levantamento de quantos alunos estão sem uniforme. É claro que não existem todos os tamanhos adequados. Demos preferência para as escolas da zona rural, e o que sobrou fornecemos para as escolas da zona urbana”, respondeu a secretária.

Como as peças são de tamanhos variados, a secretaria continua mantendo contato com as direções das escolas para encaminhar camisetas, calças ou agasalhos para as crianças que tem necessidade das peças. As escolas podem solicitar as roupas à própria secretaria ou ao centro de distribuição, que fica no Jardim Primavera.

Indagada sobre o possível motivo pelo qual os uniformes permaneceram guardados por quatro anos no centro de distribuição e não foram distribuídos aos alunos, Elisabeth disse que acredita que o problema é um disputa política. “O ex-prefeito não quis distribuir material com o logotipo da administração anterior, mas a população desconhece isso, porque não dá para saber que um lápis remete a um determinado prefeito. Por isso penso que foi por questões políticas”.

Citado pela secretária, o ex-prefeito Francisco Carlos foi procurado para responder sobre as declarações. O tucano negou que tivesse conhecimento do fato contado por Elisabeth, mas preferiu não se pronunciar oficialmente.

Em contrapartida, a secretária rebateu um anúncio de venda de uniformes escolares para os alunos da rede municipal de ensino feita em uma rede social. Elisabeth Sampaio acionou o departamento jurídico da Prefeitura para que sejam tomadas as devidas providências contra o suposto vendedor.

O anúncio foi publicado em um grupo de discussões políticas e sociais no Facebook, e foi rebatido por parte dos internautas.

Novos – Devido a um problema na licitação, Elisabeth Sampaio garantiu que a expectativa é de que as novas roupas sejam entregues aos alunos em agosto deste ano.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?